quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O preço da falta de um 9




O Botafogo lutou, atuou melhor (principalmente no primeiro tempo), perdeu gols incríveis e em uma bobeada, se despediu da Libertadores com a derrota por 0 a 1 para o Grêmio.

Ok, o time foi valente, guerreiro, não se intimidou, mostrou ser cascudo e surpreendeu demais na competição, mas desculpem, eu não consigo aceitar uma eliminação. Ainda mais quando ela vem por uma incompetência do departamento de futebol.

Entre erros e acertos, alguns bons "achados" e outras "bombas", mas é inadmissível que se monte um time para o principal campeonato do continente com Roger titular absoluto do comando de ataque alvinegro. E vou além: É imperdoável que as demais opções ofensivas sejam Pimpão (de titular), Guilherme e Brenner. 

Amigos, disputamos a Libertadores com um atacante que nunca se destacou em clube grande (e olha que o currículo dele é extenso), outro que é voluntarioso, porém não é é para ser titular em Libertadores e duas opções no banco que eram terceiras ou quartos nomes nos seus ex-clubes.

Dito isso, não consigo falar sobre a derrota de agora a pouco.

Custou caro esse time brigador sem um atacante minimamente razoável...
...e ficou evidente quando vimos nosso adversário atuar também de maneira medíocre, mas se classificar justamente porque tem um 9 aceitável para o padrão do futebol brasileiro.

Se alguém quiser falar sobre o jogo, o CB está liberado...


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 1 Grêmio

1- Gatito: Quando a bola chegou nele, se fez presente - 6,5

2- Arnaldo: Não comprometeu e atuou sério - 6,5

3- Carli: Ganhou quase todas - 7,0

4- Rabello: Boa partida, mas a sua falta burra (atacante de costas) resultou no gol dos caras - 6,0

5- Rodrigo Lindoso: Aquele futebol que não aparece - 6,0

6- Victor Luís: Não foi tão ofensivo, mas no final tentou criar até como meia - 6,5

7- Matheus Fernandes: Mal no lance do gol e com vários erros de passes - 5,0

8- Bruno Silva: O melhor do meio de campo. Principalmente na primeira etapa - 7,0

9- Roger: Uma nulidade completa. Não serviu para nada, literalmente - 3,5

10- João Paulo: Mal a beça. Caiu muito de rendimento - 4,5

11- Rodrigo Pimpão: Pecou em dois lances capitais - 4,5

12- Guilherme: Entrou só para mostrar que não era quarto reserva a toa no Grêmio. Peladeiro que não acrescente em nada - 4,5

13- Valencia: Foi colado em campo quando o time passou a atuar apenas com chutões. Não teve como criar - 4,5

14- Brenner: Um bonde que é outro que não tem a menor condição de vestir o manto preto e branco - 4,5

Jair Ventura: Escalou bem e montou boa estratégia. Não teve culpa, apesar de trocar todo mundo sempre...menos o Roger - 6,5

Superar mais um campeão




De hoje não passa.

O Botafogo continua fazendo história e avança para a semifinal da Libertadores ou se despede da competição.

Antes de qualquer coisa, que fique registrado: Mesmo se não formos os vencedores, os atletas já merecem aplausos pelo que fizeram no maior torneio da América do Sul. Mas queremos mais, podemos mais...
...faremos mais!

Não será fácil. 

Enfrentar o Grêmio com o apoio da sua torcida no RS. 

Precisamos manter a calma, postura, atitude e consciência de que podemos calar mais uma torcida nessa linda campanha.

Vamos devolver a eliminação de 1996!

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Lugar de direito




Recentemente eliminado na semifinal da Copa do Brasil,  o Botafogo continua vivo na Libertadores e Brasileirão.

Perguntado a respeito, o técnico Jair Ventura falou:

"- Fizemos um pacto de brigar na parte de cima da tabela. Estamos vivendo esse grande ano porque conseguimos ficar na parte de cima da tabela no ano passado. E a gente gostou, a gente quer isso. É o nosso foco. Vimos como é bom, então a gente quer de novo. Sabemos da dificuldade da Libertadores, nosso foco maior, mas queremos brigar no Brasileiro".

Show de bola! É isso mesmo. O Botafogo é grande demais para se contentar em apenas figurar no bloco intermediário sem impor respeito aos adversários. Por mais que atualmente não estejamos no mesmo patamar financeiro dos principais clubes do país, temos nome, história, tradição. 

Camisa tem que pesar, envergar varal.

Só não concordo com pacto entre jogadores e comissão técnica por briga na parte de cima da tabela. Isso deveria ser obrigação, advinda da diretoria.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

33,3% (até agora)




Há pouco tempo, logo que foram anunciados como novos jogadores do Botafogo, tínhamos muita curiosidade sobre o Marcos Vinicius, expectativa pelo Valencia e esperança no Brenner.

Hoje, parece que só o chileno começou a mostrar que pode brigar pela titularidade. Foram bons 45 minutos na estréia contra o Palmeiras e outras participação decepcionantes em seguida. Mas há três jogos ele tem sido um cara bem diferente, jogando para o grupo, dando movimentação e um toque na bola que poucos têm no atual elenco.

Muitos torcedores já gostariam de ver o Valencia entre os onze.

Os outros dois citados...
...bom, o Marcos começou bem e logo foi "morrendo". Atualmente só irrita, tamanha apatia, lentidão e pouca ambição de brigar por melhores condições. E olha que ainda é um jovem em início de carreira, hein?

Já o Brenner, não consegue sequer ameaçar a vaga do limitadíssimo Roger. Foram poucas oportunidades, é verdade, mas na que teve, nada fez que tenha merecido destaque. Nessa hora eu lembro do que torcedores do Internacional me falaram quando estive em Porto Alegre no final de julho passado. Parece que estavam certos...

Os amigos concordam?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

domingo, 17 de setembro de 2017

Já de olho na quarta-feira




A vitória foi sobre o Santos, mas a coletiva pós-jogo de ontem foi quase toda pautada na quarta-feira, quando o Botafogo decide a sua vida na Libertadores.

E o técnico Jair Ventura falou:

"- Tem que ter momento de marcar pressão, outro de marca baixo. Não podemos ir e jogar por uma bola. Ouvi muita gente dizendo que contra o Flamengo a gente queria empatar o jogo por causa do Gatito. Isso não existe. Vamos jogar para vencer lá, dentro da nossa estratégia".

Óbvio que muita gente disse que não houve ousadia e coragem contra o Flamengo, né? Isso foi evidente, nítido, cristalino, durante os 180 minutos disputados entre as duas equipes. Nessas horas uma autocrítica faria bem...
...até mesmo para trabalhar de maneira que tudo seja bem diferente em Porto Alegre.

Inclusive o resultado final.

Espero mesmo que o GLORIOSO repita, por exemplo, o primeiro tempo da partida de ontem, em que, segundo os amigos, o time foi rápido, envolvente e não deixou o Santos (reserva) respirar.

É claro que o Grêmio titular - e no RS - será bem diferente. Mesmo assim, é possível. 

Basta querer!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sábado, 16 de setembro de 2017

Três pontos na tranquilidade




Não conseguir assistir a vitória do Botafogo por 2 a 0 (Rodrigo Lindoso e Guilherme) sobre o Santos.

De acordo com o que acompanhei no twitter e amigos, independente do adversário ter vindo com todo o time reserva, o Botafogo até que fez um bom jogo.

Todos concordam?

Só sei que esses três pontos são importantíssimos no Brasileirão e também dão moral para a batalha da próxima quarta-feira.

Espaço aberto para os comentários dos amigos...


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Primeiro, o Brasileirão




Botafogo e Santos podem fazer uma das semifinais da Libertadores.

Na próxima quarta-feira, o GLORIOSO vai para o Sul podendo empatar com gols e garantir a sua vaga. Já o Santos, em situação melhor, foi ao Equador, empatou em 1 a 1 e decidirá nos seus domínios com o placar de 0 a 0 garantindo a sua vaga.

Saberemos se haverá esse duelo dentro de quatro dias...
...antes, os dois se enfrentam pelo returno do Brasileirão.

Santos na cola do vice líder Grêmio e o Botafogo chegando próximo do G4.

Provavelmente, os dois treinadores pouparão os seus principais atletas para as respectivas decisões na quarta-feira.

Seja com quem for (titulares ou reservas), precisamos vencer e dar o troco pela derrota de 0 a 1 no primeiro turno. 

Até agora não consegui esquecer aquele gol de falta aos 48 minutos do segundo tempo...

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Esquema para a volta




No jogo de ida, por jogar no Niltão e ciente da ausência do Luan (principalmente) e Geromel, o Jair Ventura resolveu ser mais ousado e tentou algo novo na formação inicial botafoguense.

Eu já critiquei várias vezes quando ele mudou a maneira do time jogar, mas confesso que diante das circunstâncias apresentadas, na quarta-feira concordei com a tentativa do Jair. Se eu fosse treinador, faria o mesmo.

Agora, com o 0 a 0 levando para os pênaltis e qualquer empate com gols nos favorecendo (além da possível volta do Luan no tricolor  gaúcho) em Porto Alegre, como o JV fará?

Sem aceitar sermos massacrados e abdicarmos do jogo, acho que o ideal seria voltar à velha maneira do Botafogo de 2017. Ou seja, fechar a casa de maneira ordenada e explorar em velocidade os contragolpes. Nossa marca registrada até então, né? Por essas e outras, acredito que o Jair começará com o Lindoso no lugar do Valencia e o João Paulo um pouco mais adiantado como "falso 10".

E de novo, se ele optar por isso, também terá o meu "de acordo".


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Demorou para tentar ajustar





Análise do atacante Rodrigo Pimpão, após o empate com o Grêmio:

"- Nossa equipe jogou longe, temos que ver o que erramos para que não aconteça o mesmo lá. Precisamos corrigir isso, sentimos isso na partida. Temos que analisar para que o jogo lá seja diferente".

O técnico Jair Ventura, com outras palavras, também falou algo parecido ao final do confronto:

"- Nosso time estava muito espaçado, conversamos no vestiário e foi unânime. Falo da compactação, quando está na defesa e ataque tira espaços do adversário. Estava perdendo muito a segunda bola, com dois lados muitos distantes. No segundo tempo aproximamos e conseguimos criar algumas oportunidades, melhoramos".

Bom, eu vi a mesma coisa: Um meio de campo defensivo e atacantes isolados. Não havia uma alma sequer ali perto do grande círculo central que parasse a bola, se movimentasse pela região e "impedisse" os inúmeros lançamentos (?) e chutões diretos defesa/ataque. 

A única ressalva que faço, é que isso foi notado desde o início da partida. Não é preciso esperar o intervalo para se corrigir algo. Durante o jogo dá para instruir e tentar mudanças e usar o intervalo para entrar em maiores detalhes com calma. 

Em minha opinião, melhoramos um pouco no segundo tempo. Mas foi pouco mesmo, já que o Valencia foi centralizado pouco antes de ser substituído pelo "mosca morta" do Marcos Vinicius. 

O que os amigos acharam?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

"Vantagem" mínima em Porto Alegre




Botafogo e Grêmio empataram em 0 a 0 na primeira partida das quartas da Libertadores, no Estádio Nilton Santos.

Agora a decisão por uma vaga na semifinal será decidida na próxima quarta-feira, na Arena Grêmio.

Um outro 0 a 0 leva para os pênaltis. Qualquer empate com gols, vaga para o GLORIOSO.

Será difícil. Tudo leva a crer que passaremos por uma pressão em Porto Alegre. Seja pelo adversário, como também pela torcida tricolor.

E se quisermos classificar, terá que ser na base da superação. Até porque, falando do futebol apresentado na noite de hoje, confesso que não gostei do que vi. Foram quase 90 minutos de chutões para frente. Em momento algum conseguíamos colocar a bola no chão, parar um pouco, pensar, triangular. Aliás, tudo que o meio de campo gremista fez. Do lado deles, um time com bastante movimentação e toque de bola. Do nosso, passes errados, posicionamentos pré-determinados e fixos e lançamentos para frente. Muitos deles, dando a impressão de terem sido com olhos fechados.

Resumindo: No pior dos cenários, o 0 a 0 ficou bom. Não que tenhamos sido dominados (até porque não fomos também), mas com o apoio da torcida em peso, o time vindo da vitória empolgada do último final de semana, acredito que todo mundo esperava mais. E soma-se a isso, o fato do Grêmio ter jogado sem seus dois principais jogadores. 

Nada definido. Continuamos vivos e assim como foi na Copa do Brasil (empate - em casa - no primeiro jogo), decidiremos por um gol no campo do oponente.

Vamos torcer para que a postura e resultado final sejam diferentes.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 0 Grêmio

1- Gatito: Sem muito trabalho - 5,5

2- Arnaldo: Sério, foi um dos mais vibrantes - 6,0

3- Carli: Ganhou todas jogadas e ainda nos salvou de um gol - 6,5

4- Rabello: Apenas uma falha. De resto, boa partida - 6,0

5- Matheus Fernandes: Errou muitos passes, mas pelo menos não se esconde - 5,0

6- Gilson: Fraco na marcação e meio desengonçado na frente - 5,5

7- Valencia: Pouco para a expectativa criada - 5,0

8- Bruno Silva: Uma das piores partidas com a camisa do Botafogo - 4,5

9- Roger: Duas conclusões e poucos toques na bola - 5,0

10- João Paulo: Mais contido e recuado. Pouco chegou na frente - 5,0

11- Rodrigo Pimpão: Muitas bobeiras em bolas fáceis. Jogou mal - 5,0

12- Guilherme: Nada criou de produtivo - 5,0

13- Marcos Vinicius: Quase nem foi notado. Pesado e lento - 4,5

14- Rodrigo Lindoso: Não acrescentou em nada - 5,0

Jair Ventura: Até concordei com a sua escalação inicial. Tentou, dentro do possível. Precisa criar mais alternativas para os chutões. Nem que seja chamar a atenção dos caras durante os jogos - 5,5

Raça e aplicação em dobro




É hoje, amigos!

Começa a briga por uma semifinal da Libertadores.

Competição em que o Botafogo é a grande surpresa e o maior destaque, desde as fases preliminares, superando tudo e todos.

Me arrisco a dizer que depois de tantos bons adversários, teremos agora o mais complicado de todos.

Mas nessa competição, os outros que precisam se preocupar com o GLORIOSO.

Logo mais, atuar com aquela raça, empenho, coragem e inteligência para levar uma vantagem interessante até Porto Alegre. Aproveitar o momento e a sinergia incrível entre time e torcida na Libertadores.

Repito, a palavra chave é: Atenção.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Melhorou bastante





Ainda sobre o clássico do domingo passado, o técnico Jair Ventura falou sobre o chileno Leo Valencia:

"- Testamos ele de algumas maneiras. Como externo, meia ligação, com aproximação, e ele fez bem com o Victor e com o Pimpão, depois com o Arnaldo e o Bruno. Ele é um cara muito físico, forte fisicamente. No final, até pediu pra sair. O que ele coreu foi um absurdo. Entrega, garra, determinação. Pode jogar como segundo atacante, externo pela esquerda e centralizado".

Meu comentário: Além do que disse o Jair, destaco a qualidade do passe que o Valencia mostrou. Mas o principal mesmo foi a mudança - brusca - de estilo de jogo. Diferente das oportunidades anteriores, o chileno atuou para o grupo, usando a sua habilidade de maneira inteligente e produtiva.  Daí sim, podemos acreditar que temos uma boa opção, afinal, o excesso dos jogos anteriores estavam irritantes e nada produtivos.

Os amigos concordam? Fazem outras observações?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!