quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Um grande MERDA!




Amigos, eu gostaria de falar sobre pontos do jogo de ontem, mas deixarei para fazer algumas observações a partir da postagem de amanhã, ok?

Isso, porque o CB abre essa manhã de quinta-feira - pós clássico -, para manifestar apoio aos familiares do jogador flamenguistas e repudiar o ato desse estrume humano que infelizmente está vestindo a gloriosa camisa branca do Botafogo.

Essa pessoa (?) não me/nos representa.

O Botafogo de Futebol e Regatas não merece tal verme em suas arquibancadas/dependências.

Racista, idiota.

Que seja devidamente punido na esfera cabível.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Faltou o espírito da Libertadores




Em um jogo nervoso (porém, chato), Botafogo e Flamengo ficaram no 0 a 0, na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil.

Agora os dois se enfrentam na próxima quarta-feira, no Maracanã, com 90% do estádio para a torcida do nosso rival. 

Outro 0 a 0, decisão por pênaltis. Qualquer empate com gols, vaga para o GLORIOSO, por conta do gol fora de casa. 

Ou seja, analisando o que foi o jogo, até que o empate sem gols foi dos males, o menor. Eles terão vantagem da torcida ao seu favor e nós teremos uma leve vantagem se marcarmos pelo menos uma vez. Mas para isso acontecer, precisaremos atuar bem diferente, pois hoje o Botafogo da Libertadores não entrou em campo. O time foi lento e sem a "faca entre os dentes" características nas partidas disputadas pela maior competição da América do Sul.

Para dificultar um pouco, não teremos o Pimpão (terceiro amarelo) e Carli (vermelho) na volta.

Mas pensando bem, na quarta que vem teremos um clima parecido de quando enfrentamos os adversários na Libertadores fora do Rio de Janeiro, né? Pressão, estádio cheio...
...e a oportunidade de provarmos que o nosso time é cascudo e aguenta suportar tudo, buscando sempre aquela bola fatal para garantir o triunfo.

Hoje não deu. Apesar da atmosfera da torcida botafoguense ter sido a mesma da Libertadores, em campo os atletas não corresponderam às expectativas. Agora eles precisam se superar mais uma vez, contra um rival e o apoio dos seus adeptos em maioria.

Difícil, muito difícil. Mas para o Botafogo, nada é impossível...
...desde que, lembrando mais uma vez: Entremos com o espírito da competição sul-americana.

Nesta noite, pela Copa do Brasil, ficamos devendo.

Recuperaremos e garantiremos a classificação no Maracanã então.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 0 Flamengo

1- Gatito: Falhou e se recuperou muito bem no mesmo lance - 5,5

2- Luis Ricardo: Mal, errando passes fáceis - 4,0

3- Carli: Continua nervoso e levando cartões de maneira irresponsável - 4,0

4- Rabello: Absoluto na maioria das jogadas - 6,0

5- Rodrigo Lindoso: Deixou muitos espaços na proteção da zaga - 5,0

6- Victor Luís: Faltou mais presença ofensiva - 5,0

7- Rodrigo Pimpão: Não conseguiu praticar suas arrancadas - 4,5

8- Matheus Fernandes: O único a tentar chute de fora da área - 5,5

9- Roger: Nulo, perdeu todos os lances, sem conseguir fazer pivô ou dar sequência - 4,0

10- João Paulo: Muito discreto e escondido - 4,5

11- Bruno Silva: Enquanto teve fôlego, conseguiu ajudar. Depois cansou - 5,0

12- Marcelo: Entrou na vaga do expulso Carli e quase não tocou na bola - Sem nota

13- Gilson: Pareceu meio perdido sem saber o que fazer no jogo - 4,5

14- Guilherme: Faltou alguém para ele ter com quem correr na frente - 5,0

Jair Ventura: Demorou para mexer no time. E quando o fez, a primeira troca não foi boa - 4,5

Primeiro capítulo da semi




É hoje!

Primeira partida da semifinal da Copa do Brasil.

Clássico contra o Flamengo.

Garantia de fortes emoções e grande rivalidade.

Esperamos que apenas dentro de campo.

E que o Botafogo saiba utilizar a vantagem de jogar em casa (com o apoio da sua torcida) e faça um bom placar para administrar na semana que vem, quando será a vez deles atuarem diante dos seus adeptos.

Atenção, raça, faca entre os dentes e inteligência.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Novo posicionamento




Uma das grandes surpresas do time que venceu o Grêmio no último domingo foi o Leandrinho, que sequer vinha atuando e saiu de titular.

Mais do que a simples presença do jogador, o seu posicionamento também chamou a atenção. E o técnico Jair Ventura falou a respeito:

"- Tenho trabalhado para ele jogar como volante. O Lindoso era meia também. Já o João Paulo era volante e virou meia. Por conta do sistema, precisamos de mais jogadores assim. Perdi o Dudu Cearense, suspenso. Então tive que usar o Bruno e o Matheus, titulares. Adaptamos o Leandro, que tem um ótimo passe. Fico feliz".

Boa sacada. Se tiver fôlego e maior poder de marcação, pode ser uma boa. E melhor ainda, que a ideia de ser recuado e trabalhado como terceiro homem do meio de campo partiu do próprio Leandrinho (só não ficou claro se ele já vinha sendo preparado para essa função mesmo ou se foi de última hora, já que cada um disse uma coisa):

"- Tenho como principal característica o passe. Então, eu mesmo falei com o Jair, há umas duas semanas, e pedi essa oportunidade para ele, que gostou da ideia. No sábado, ele falou que eu ia jogar ali. Então eu treinei pra isso. Conversei com ele e com o Felipe Tigrão".

Será que ganhamos uma nova opção para não mexer no esquema tático que vem dando certo (quando não tivermos os titulares)?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Dois fominhas




Palavras do Bruno Silva, após a vitória de ontem:

"- O Jair sempre sabe que pode contar com todo mundo. Hoje (ontem) quem jogou foi eu, o Matheus Fernandes e o Gatito. Mas quem entrou deu conta do recado. Hoje o foco foi o Brasileiro. Precisávamos ganhar, independente de quem jogou, o importante foi voltar a vencer".

Concordo plenamente com o volante botafoguense. 

Na situação que estávamos (cinco jogos sem vencer e em queda na tabela), precisávamos somar três pontos, independente de atuando com titulares, reservas, bem ou mal. 

Conseguimos. Ótimo. Valeu e muito...
...agora, se teve algo que podemos classificar como "destaque negativo" na vitória sobre o Grêmio, foi a "fominhagem" da dupla Guilherme e Valencia.

O Guilherme já conhecemos tem tempo. Tanto que a solidária partida dele contra o Nacional surpreendeu (positivamente) quase toda a torcida. O Valencia chegou agora e parece ser o mesmo tipo de jogador: Habilidoso, mas excessivamente individualista.

Acho que o Jair pode/deve chamar a atenção de ambos, pois, ok, vencemos, mas poderia ter sido bem mais tranquilo.

Os amigos concordam?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

domingo, 13 de agosto de 2017

Um respiro















Com duas equipes recheadas de reservas, Botafogo e Grêmio se enfrentaram pela primeira rodada do segundo turno do Brasileirão, mas com olhos voltados para as semifinais da Copa do Brasil, no meio da semana, quando ambos enfrentarão Flamengo e Cruzeiro, respectivamente.

Melhor para o GLORIOSO, que diante de pouco mais de 6 mil torcedores, venceu por 1 a 0 (Leandrinho) e conquistou três pontos importantíssimos para uma afastada da zona perigosa na tabela e consequente chegada no G6.

O resultado mostrou o que foi o jogo: Parelho, equilibrado e com boas chances desperdiçadas. Do lado botafoguense, por puro preciosismo de alguns jogadores. Do lado gremista, porque temos Gatito, o pegador de pênaltis.

O arqueiro paraguaio mais uma vez foi decisivo, pegando uma penalidade já nos acréscimos do primeiro tempo, após uma das várias decisões equivocadas (para não dizer tendenciosas) do árbitro.

No mais, venceu quem teve um domínio maior durante pequena parte da partida. O Botafogo se impôs nos primeiros 15 minutos e garantiu os três pontos aí. Depois, bons momentos para os dois lados, com alternâncias de posse de bola, ofensividade, etc.

Valiosos três pontos na ponta. Um respiro na tabela e ainda mais empolgação e confiança para o clássico da próxima quarta-feira. Desta vez, com a força máxima, é claro.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 1 x 0 Grêmio

1- Gatito: Uma temporada fenomenal. Mais um pênalti defendido - 7,0

2- Arnaldo: Muita força e vontade, mas sérias dificuldades na defesa - 5,5

3- Marcelo: Veloz, levou vantagem nos lances mais difíceis - 6,5

4- Emerson Silva: Não comprometeu (o que já merece destaque) - 6,0

5- Matheus Fernandes: O dono do meio de campo. Firme na marcação e cabeça levantada o tempo inteiro - 7,0

6- Gilson: Faltou mais capricho nas últimas bolas - 6,0

7- Valencia: Tem habilidade, mas demora para soltar a bola - 5,5

8- Bruno Silva: Correu o tempo todo, indo e voltando - 6,5

9- Brenner: Boa enfiada para o gol do Leandrinho. No mais, não gostei - 5,0

10- Leandrinho: Atuou um pouco mais recuado do que eu imaginei, mas foi decisivo - 5,5

11- Guilherme: Não falta disposição, só que quase sempre exagera nos enfeites - 6,0

12- Fernandes: Discreto, fechou o meio - 5,0

13- Emerson Santos: Entrou improvisado para não dar espaço na direita - 5,0

14- Victor Luís: Mostrou pegada e seriedade ao entrar em campo - 6,0

Jair Ventura: Só não entendi a não utilização do Marcos Vinicius, por exemplo, na saída do Brenner. De resto, fez o que pôde com o que tinha disponível - 6,5

Foco no BR (e olho na Libertadores)




No meio da semana, Botafogo e Grêmio confirmaram o duelo que valerá pelas quartas de finais da Libertadores.

No final de semana, os dois se enfrentam, pela primeira rodada do returno do Brasileirão.

Jogo importante para estudarmos um pouco mais o adversário. Servirá como leve aperitivo para os duelos decisivos em outubro. 

Só que enquanto a Libertadores não volta, precisamos respirar com mais folga e tranquilidade no campeonato nacional. 

O Grêmio está bem. Nós, não. 

É preciso vencer, custe o que custar.

E para devolver a derrota do primeiro turno, igualar os confrontos do ano, somarmos três pontos e nos mostrarmos mais do que presentes para os gaúchos se preocuparem com o que terão pela frente depois também.

Pra cima deles, Fogão!

Obs: Um excelente Dia dos Pais aos botafoguenses!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sábado, 12 de agosto de 2017

Aniversariantes do dia




Publicação curta, pois hoje nada é mais importante do que comemorar os 113 anos do futebol do Botafogo.

E, coincidentemente, os 63 anos do meu pai, Jacob.

Parabéns em preto e branco.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Quase tudo perfeito




Depois da classificação de ontem, uma rápida análise do time para as partidas finais na Libertadores e Copa do Brasil...

No Brasileirão, ok, uma outra mudança para rodar elenco e tal, mas nas duas outras competições, os onze devem ser os que venceram o Nacional na noite de ontem.

Não tem mistério. E nem é hora para alterações.

E eles sabem exatamente o que precisam fazer em campo (e aí, também é mérito do treinador). Faço apenas duas rápidas observações para o Jair pensar um pouco mais em como melhorá-las (na minha modesta opinião):

1- O Roger não pode sair muito da área. É nulo fora dela. O negócio dele é ficar lá entre os zagueiros adversários, brigando no corpo a corpo e tentando se posicionar para o toque final na bola.

2- O Luis Ricardo nunca teve a marcação como característica. E voltando da cirurgia, parece ainda estar um pouco lento e sem tanta confiança para embates duros. Precisaremos mais e mais do fôlego extra do incansável Bruno Silva por ali. 

Dando leves ajustadas nesses dois pontos, é partir para cima sem medo de ser feliz.

O que os amigos acham?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Fazendo história




O Botafogo segue encantando na Libertadores.

De desacreditado na fase preliminar ao posto de um dos oito melhores times da competição.

Eliminando campeões desde o início, hoje o Botafogo venceu o Nacional por 2 a 0 (Bruno Silva e Rodrigo Pimpão) e se credenciou a disputar a próxima vaga contra o Grêmio.

Sensacional classificação. Praticamente garantida com seis minutos de jogo, após um começo avassalador e os dois gols marcados, que somados a vitória no Uruguai, fizeram com que o time apenas administrasse os demais 85 minutos da partida.

E poderia ser ainda mais simples, se tivéssemos um pouco mais de calma nos passes finais e conclusões. Assim como alguém que parasse a bola e ditasse o ritmo.

Mas tudo bem, hoje não é dia de "poréns". Só de comemorar. E muito!

Parabéns, Botafogo! Tu és o GLORIOSO!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 2 x 0 Nacional (URU)

1- Gatito: Seguro quando exigido - 6,5

2- Luis Ricardo: Andou com problemas na marcação pelo seu setor - 5,0

3- Carli: Gigante. Ganhou todas por baixo e por cima - 7,0

4- Rabello: Outro que praticamente não perdeu - 6,5

5- Rodrigo Lindoso: Partida discreta, mas correta - 6,0

6- Victor Luís: Bem na marcação. Expulso no final - 5,5

7- Matheus Fernandes: Joga como um veterano, sem medo e com bastante presença - 6,5

8- Bruno Silva: Voltou a correr muito e foi fundamental no lado direito - 7,0

9- Roger: Não esteve bem no papel de pivô. Ainda perdeu um gol feito - 4,5

10- João Paulo: Partida absolutamente tática. É importantíssimo para o time - 6,0

11- Rodrigo Pimpão: Muita raça e aplicação - 6,5

12- Guilherme: Entre alguns exageros, boas jogadas pela esquerda - 6,5

13- Dudu Cearense: Entrou para marcar presença física - 5,0

14- Gilson: Poucos minutos em campo - Sem nota

Jair Ventura: Armou o time do jeito certo, sem invenções. Não comprometeu, apesar de eu não ter concordado com a saída do Matheus - 6,5

Noite de decisão




Pausa no Botafogo inconstante do Brasileirão.

Voltemos ao Botafogo surpreendente, raçudo e copeiro da Libertadores.

Hoje, no Nilton Santos lotado, o GLORIOSO defende a vantagem de 1 a 0 conquistada no Uruguai, podendo empatar para se garantir nas quartas-de-finais da competição.

Vantagem que não pode ser desconsiderada, mas que também não pode servir para acharmos que está tudo encaminhado. 

Longe disso.

Atenção total. Entrega máxima em cada bola. 

É tudo ou nada.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sem dar sorte ao azar




Autor do gol da vitória botafoguense no Uruguai, o João Paulo falou sobre a decisão de amanhã, contra o Nacional:

"- É uma semana diferente. A gente vem enfrentando ótimos adversários. Nos acostumamos a ter jogos difíceis. Quinta tem mais um, mais uma guerra. Temos uma grande vantagem, mas estamos focados. É uma equipe forte, com grandes jogadores. Precisamos fazer nosso jogo, agredir o adversário e não sentar no resultado. Temos que tentar o gol".

Exatamente. 

Nada de cozinhar a partida e dar oportunidade do adversário encontrar uma bola isolada. Nada de correr riscos desnecessários, mas nos impondo e tentando abrir o marcador para, aí sim, poder administrar o confronto com mais calma.

Jogar para vencer (com inteligência), independente da vantagem do empate.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!