sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Os jogos mais complicados















O meio campista Andrezinho falou sobre o Atlético/GO, lanterna do campeonato e próximo adversário do Botafogo:

"- Nesses jogos a atenção tem que ser maior. O Atlético já surpreendeu muitos nesse campeonato. A atenção tem que ser redobrada. Tem um ditado que diz que você só tropeça nas pedras pequenas, porque nas pedras grandes você tem mais atenção, enxerga mais".

Disso o torcedor alvinegro está mais do que vacinado, afinal, não é de hoje que o botafoguense tem perdido pontos para adversários fracos ou mal posicionados nas tabelas.

É o tal complexo de Robin Hood que tanto falamos.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

11 comentários:

Alex JF-MG disse...

Isso é normal para o BOTAFOGO...

Rodrigo Federman disse...

Pois é, Alex.
Abs e SA!!!

ari dias disse...

A postura tem que ser a mesma do jogo contra o figayrense, ou seja, não pode bobear e tem que tentar matar o jogo logo no início.
Sejamos justos, contra o figueira o time foi inteligente e fora uma jogada ou outra, não levou nehum susto. Administrou o placar construído no primeiro tempo e levou os três pontinhos pra casa.
SALVE LOCO ÍDOLO.

Anônimo disse...

RODRIGO, evito falar sobre os atuais treinadores.Você sabe bem o que penso sobre todos.Vejo aqui e em alguns blogs internautas se digladiando defendendo ou acusando A ou B.Apenas acho graça de tudo.
Vivi os bastidores do BOTAFOGO no final da década de 50, toda a de 60 e até a fatídica venda da sede.
Pode crer no que digo ao amigo, a maioria dos técnicos apitava muito pouco e hoje, menos ainda, pois há o interesse de empresários mancomunados com dirigentes e, em alguns casos até com treinadores.
O Saldanha era muito bom porque peitava todo mundo e não aceitava interferências, mas quem mandava no time eram Didi, NS e um cara de forte personalidade e que quase ninguém fala, Pampolini, que jogava no meio e carregava o piano.
Zagallo só mandou quando pegou a garotada oriunda do juvenil e colocou para jogar.Deixava o Gerson com carta branca em campo.E olha que naquele tempo não havia tanta pilantragem de empresários.
Faço justiça ao Elba de Pádua Lima, o TIM, foi o único que assisti criar situações de jogo e mudar jogadores de posição para melhorar o desempenho.Jairzinho deve muito do seu sucesso a ele, que tirou-o da ponta e colocou como uma espécie de meia atacante ou ponta de lança, como queiram.
O que a maioria dos "treineiros" faz hoje em dia.Recebem um baita salário,se juntam logo aos figurões do time para não terem problemas (Joel é expert nisso),e vida que segue.
Um dos poucos treinadores que não aceita esse tipo de situação chama-se LEÃO,que acaba de ser demitido do São Caetano, por não escalar jogadores de empresários.
Rogério Ceni peitou o Nei Franco, ao vivo e a cores, querendo escalar um atleta.São os donos dos times que não gostam de treinadores independentes.
No Grêmio,O Luxemburgo começou a se engraçar escalando e indicando jogadores de seu interesse.O time andou mal, levou uma chamada da diretoria e baixou a sua bolinha.
Vejo no Botafogo, salvo engano de minha parte, pois não acompanho a vida do clube, que o SEEDORF devagarinho assumiu o comando.Como é conceituado e foi um alto investimento, ninguém tem peito de contestá-lo. O LA tentou fazer o mesmo,mas era rejeitado por alguns do grupo, além de ser marrento e cheio de regalias.
Você acredita que o treinador atual do clube teria peito de deixar Renato, MM, agora o FF, etc, no banco, para garotos,sem respaldo de alguém que manda de fato?
No Scarpelli eu vi o OO chamando o SEEDORF para, digamos, trocarem idéias.Acredito que tenHa sido a nossa maior contratação em muito anos, não só pelo futebol que ainda joga, mas pelas suas qualidades exemplares de profissional de alto nível, UM LIDER NATO.
Fico à vontade para falar pois fui contra, você deve lembrar, mas eu não conhecia esse lado exemplar do NEGÃO.
Deixo bem claro que não defendo treinador A ou B, apenas falo o que sei e o que vi.
Há pouco tempo conversei sobre o assunto com um ex técnico do Grêmio e que dirigiu dois times do RIO.Ele me disse que é por aí mesmo, por isso eles ao assinarem exigem uma multa altíssima para o caso de ser demitido.O que mais lhe enchia o saco era aquela conversa de dirigente:" você tem que dar oportunidade para fulano,ele é muito bom, o clube tem que ganhar algum nele, etc, etc, etc.
Desculpe o texto longo, tenha paciência com o decano.JOTA.
















Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Ari. E por jogarmos em casa, podemos (e devemos) ser ainda mais agressivos.

Oi, Jota. Sim, eu concordo. Por isso sempre digo que além de craque, o Seedorf é o verdadeiro técnico do Botafogo, já que entende muito mais do que o péssimo OO.

Abs e SA!!!

Levi disse...

Já é o segundo comentário do JOTA (o primeiro foi sobre os bastidores da arbitragem) cujo resultado, não demora, será a assunção de uma postura da minha parte de total indiferença em relação ao futebol.
Se eu juntar os textos, outra conclusão não me restará senão a de que o futebol não passa de uma grande farsa! Neste caso, fico a me perguntar porque perco o meu tempo me dedicando a uma paixão que decorre de um espetáculo completamente desprovido de credibilidade.
Espio futebol há muito tempo e sempre relutei em aceitar que os resultados fossem manipulados e que a contratação/escalação de jogadores obedecessem a um critério outro que não fosse o mérito, a qualidade técnica dos atletas.
Já disse antes e repito, que no dia em que cair de vez a ficha, largo isso tudo pra lá e vou fazer coisa melhor na vida.
Mas, de fato, o comentário dele faz com que eu entenda melhor a contratação do Rafael Marques, para ficar somente no exemplo mais eloquente.

Rodrigo Federman disse...

É, Levi. O futebol atual é sujo!
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Fiquem tranquilos, sou pé quente!

Abs, Rafaelias.

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Rafaelias. rs
Abs e SA!!!

Rafaelias disse...

Eu avisei, Rodrigo. Hehehe, abs.

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Rafaelias. rs
Abs e SA!!!