sábado, 17 de novembro de 2012

Tem como piorar?


















Cada vez mais parece certa a permanência do Oswaldo Oliveira no Botafogo.

O treinador voltou a falar sobre o seu futuro:

"- A opinião da semana passada é a mesma, quero ficar. Tenho muito boas condições de trabalho, mas algumas coisas quero melhorar. Se tornar realidade a renovação, acho que o que foi feito pode ser bastante melhorado e refletir em resultados".

Pode ser melhorado?

Claro, afinal, piorar é que não pode.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

12 comentários:

Sergio Di Sabbato disse...

Pô Rodrigo, você é muito pessimista, você e toda essa torcida botafoguense, culpada por todos os fracassos dos últimos anos. Vai melhorar sim, com certeza. Na CB seremos eliminados na 3ª fase, ao contrário dos anos anteriores. Nas finais do carioca perderemos nos penaltis e no brasileiro chegaremos em 4º, no 1º turno e em 5º no 2º turno. o pior é ler um comentário outro dia dizendo que o omissão é o melhor presidente que o Botafogo já teve. Eu quase tive um enfarte de tanto rir. Se o nininho é o melhor (para os co-irmãos, com certeza), imagina o pior. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Hahaha. Sergio, a culpa é nossa, da torcida! rs
Abs e SA!!!

Newton disse...

Se ganharmos do sport, atlético e flamengo e mesmo assim não chegarmos a libertadores, então o objetivo do OO estará alcançado.

O torcedor quer títulos e esses não vieram. É uma onda de acomodação, de achar que está tudo bem, que foi tudo do melhor modo possível. E assim, fica fácil enrolar, prometer e tapar o sol com a peneira.

Ficaria tudo mais simples se o Dr. arrogância não tivesse desafiado a torcida, em várias ocasiões. A partir daquelas atitudes, a antipatia foi total.

Os resultados esperados pela torcida não apareceram. O 5º ou 6º lugar é uma posição cômoda, mas que não resolve. Com isso, as cagadas técnicas (contratações, planejamento, substituições, táticas, etc...) estão e ficarão encobertas.

Mas a agonia continua.

Anônimo disse...

Meu caro RODRIGO, um abraço do Jota.
Tento, como padrão de comportamento,analisar bem os fatos para não sair por aí dizendo impropérios.Quase sempre, na hora da raiva, dizemos um monte de asneiras.
Reproduzo abaixo, um texto de um botafoguense que gostei, embora não concorde com tudo que foi escrito.Aliás,não gosto de pessoas que não explicam o por que de suas opiniões.Vale a pena ler, concordando ou não, mas o autor tenta dar uma explicação plausível ao tema.

"Coluna do Gajo - Experiência e Espírito de Vencedor

por DAVID NUNES - "O GAJO"Exibir blog
Na semana do título merecido do Fluminense estava ouvindo uma entrevista com o Técnico Abel Braga sobre como montaram a equipe e a estratégia para jogar o Campeonato Carioca, Libertadores e o Brasileiro. Alguém tem alguma dúvida que tudo funcionou perfeitamente? Eles foram campeões cariocas, melhor campanha na Libertadores e campeões brasileiros com 3 rodadas de antecipação e com a melhor campanha desde o início do campeonato por pontos corridos. Durante a entrevista a coisa que mais me chamou a atenção foi quando ele falou que na montagem do time fez questão de falar com o Celso Barros que ele só gostaria de contratar jogadores diferenciados e vencedores. Jogadores acostumados a títulos e que soubessem suportar pressões com inteligência e determinação, que não tenha medo da vitória, pois sabe o gosto que ela tem. Aquela frase me chamou a atenção e comecei a olhar para dentro do nosso Glorioso time e fiquei perplexo com a incrível realidade dos fatos, pois sempre que precisamos ser fortes e vencedores, a primeira dificuldade já nos faz duvidar se somos ou não um time com condições de sermos vencedores. Isso vale para parte de nossa torcida, mas muito, muito, muito mais para o nosso time. Nós chegamos a ter alguns jogadores vencedores como Loco, Renato, Herrera e Jefferson(Seleção). Contratamos um técnico vencedor, mesmo que não gostemos dele, mas perdemos o Loco e Herrera. Renato caiu de produção.

Tudo isso quando Seedorf, o cara mais vitorioso que aportou em General Severiano chegou. Mesmo só com o Seedorf, conseguimos ver com absoluta clareza o que alguém, diferenciado, vitorioso e líder conseguem fazer com um time razoável tecnicamente, mas com jovens vindos da base, babando de felicidade de estar jogando ao lado dele. Ao longo desses 3 meses de convivências vimos algumas atitudes de vencedor por parte dele ao cobrar empenho nos treinamentos, profissionalismo, respeito à torcida e uma garra impressionante. Tudo isso culminou no fatídico momento em que ele se contundiu e chorou ao sair de campo. Hoje vemos um time mais unido, brigador, vibrando com cada gol e cada vitória. No treino de ontem Seedorf teve um atrito com o Antonio Carlos por ter cobrado um posicionamento melhor do zagueiro. Disse no TREINO. O AC parece não ter gostado muito, mas preciso dar uma “notícia” a ele: AC, agora você deve estar sabendo a diferença entre ser um jogador e profissional vencedor e jogadores como você, que apesar de muitas qualidades, lhe falta à humildade de querer aprender, no mínimo a ouvir, principalmente a cobrança de quem demonstra saber do que fala. Tomara que para 2013 esse grupo possa contar com mais jogadores vencedores. Loco, se vier com a mesma disposição que teve em 2010 e 2011, seja bem vindo de volta."

Rodrigo Federman disse...

Newton, o pior é que a agonia tende a continuar mesmo.

Jota, só discordo de quando ele fala do treinador, já que o vitorioso do OO é contestável (para mim).

Abs e SA!!!

Newton disse...

Só para completar Rodrigão:

Humildade,como disse o Jota, é uma característica importante para se definir um vencedor.

A humildade está passando longe de certas pessoas em GS.

jorgeFS disse...

Piorar? impossivel!mas só poderemos opinar com certa clareza, a partir de 06/13, quando o AB começar mais um PLANEJUMENTO/MAPEADO. DAQUI ATÉ LÁ SERÁ SÓ TORRAÇÃO.

Rodrigo Federman disse...

Concordo, Newton!

Hahaha. Pois é, Jorge.

Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Caríssimo Rodrigo, com relação ao texto do Gajo, da Rádio Botafogo, a parte de que eu mais discordo é esta:

" ...pois sempre que precisamos ser fortes e vencedores, a primeira dificuldade já nos faz duvidar se somos ou não um time com condições de sermos vencedores. Isso vale para parte de nossa torcida..."

Desculpe, mas na hora de bater os pênaltis nas decisões contra o lixo, não fui eu (nem parte da nossa torcida) quem tremeu e fez o nome do goleiro-presidiário; assim como eu (nem parte da nossa torcida) não estava em campo, no Monumental de Nuñez, naquele retumbante fracasso contra o River em 2007 na SA; também não fui (nem parte da nossa torcida) almoçar com os adversários na véspera da decisão da Taça Rio 2008, quando uma vitória nos daria o título (também não fiz o gol contra que nos tirou a vitória e o título); não disputei (nem parte da nossa torcida) os sei lá quantos jogos em que perdemos na reta final do Brasileiro de 2011, nem estava em campo nos sucessivos fiascos contra times inexpressivos nas últimas Copas do Brasil.

Realmente, fico de saco cheio desse nhem-nhem-nhem que insiste em tentar tirar a responsabilidade por uma série de frustrações e dividi-las com a torcida.

Torcida, como o nome já indica, torce. E só.

A torcida estava acreditando no título brasileiro ano passado. E apoiando, até se deparar com o coitus interruptus na reta final.

A nossa gloriosa torcida era maioria no 1o jogo da decisão, quando vimos o título ser praticamente entregue ao time do plano de saúde.

Enchemos o Engenhão na estreia do Seedorf. E vimos o time apático, sem vontade de vencer, até ser derrotado em (mais uma) falha do Calopsita Ferreira.

O Fred, heroi do título, artilheiro, o escambau, no ano passado (se não me engano) estava sendo escorraçado e caçado pela torcida tricolette. Que, a despeito da excelente campanha do time, não compareceu aos jogos.

Li várias vezes os jogadores lamentando e dizendo que gostariam de jogar para um estádio lotado, mas, em momento algum, vi gente do time das Laranjeiras, treinador inclusive, vir culpar a torcida. Ou mesmo querer ensiná-la a torcer. Como fizeram o Caio Potter Jr, e agora esse embusteiro pernóstico.

E agora eles aprovaram o direito ao voto do sócio torcedor.

Nós, nem sócio-contribuinte, com direito a voto, temos.

Já que se falou do mais bem sucedido time brasileiro neste ano, que tal observarmos que, salvo engano, eles não contrataram ninguém ao longo do Brasileiro. O elenco já estava montado. Acho que também não saiu ninguém de lá.

Nós, não. Mal tínhamos elenco. Perdemos vários jogadores no meio do Brasileiro. Nosso "planejamento" contemplava contratar jogadores no decorrer do Brasileiro. A garotada da base só entrou por absoluta falta de substitutos. É só ver quem tem ficado no banco de reservas ultimamente.

É isso.

abs.

Rodrigo Federman disse...

Perfeito, Eduardo. Esse lenga-lenga de falar da torcida tb me cansa. Por isso sempre digo que se existem culpados, estou certo que o torcedor botafoguense é o último da fila.
Abs e SA!!!

Sergio Di Sabbato disse...

Muito bom o comentário do Samico. O que mais me chamou a atenção foi
essa estória de jogador vencedor, que não sofre pressão. Isso é muito relativo. A seleção de 82 só tinha jogadores e um técnico vencedor e deu no que deu. O Inter foi campeão do mundo com um gol do Gabiru que nem sei por onde anda. O Guarani quando foi campeão brasileiro tinha um grande time com todo mundo começando em Campinas e o Careca arrebentando. Depois meio time foi pro SP. Será que o flu estaria nessa posição se não tivesse havido tantos erros de arbitragem? E porque amarelou no jogo mais importante da Libertadores se só tem jogadores e técnico vencedor? O time do Botafogo de 89 era o mesmo dos derrotados de 88, o que mudou? Viraram vencedores da noite pro dia? Esse mesmo time de 88 se transformou no campeão invicto em 89 e quase foi campeão brasileiro. O que falta ao Botafogo é comando e planejamento e cobrança, e isso não tem como culpar a torcida, a não ser aquela comprada que protege ostensivamente as cagados dessa gestão do omissão. Já ia esquecendo: o Botafogo ganhou a 1ª do OPG na Gavea dos mulambos por 2X1, e pelo que li, o Dedé joga muita bola. mais um para subir e, se não me engano, esse ainda a da cria da base da gestão do Bebeto. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Sergio, onde assino? Disse tudo, amigo.
Abs e SA!!!