terça-feira, 2 de abril de 2013

Sem perder o foco




















Depois da diretoria vascaína vetar o estádio de São Januário para o Botafogo, algumas trocas de farpas foram feitas entre botafoguenses e cruzmaltinos.

Desde dirigentes até os torcedores.

Questionado se esse clima pode interferir no desempenho da equipe no clássico de amanhã, o goleiro Jefferson falou:

"- Eu não estou a par do que aconteceu, mas acho que isso é coisa extracampo. Não podemos entrar nessa euforia que vem de fora, pois sairemos do nosso foco e da nossa disciplina tática. O que acontece fora, fica fora".

É isso aí.

O negócio é entrar em campo com a faca entre os dentes, independente do que aconteceu.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

6 comentários:

Anônimo disse...

Reproduzo aqui um texto primoroso do Leo publicado no Blog do Professor PC Guima:


"Vivemos tempos muito obscuros para tratarmos de forma tão célere um tema tão importante como este da rescisão e devolução do engenhão pelo Botafogo, a interdição, por si só, está permeada de aspectos nebulosos e a extremada decisão da direção em estranho tempo recorde abre brechas para costumeiras suspeitas...

As informações que circulam sobre potenciais contratos que seriam e foram pactuados(Flu,CEF, Brahma,venda de camarotes, planos de sócios,etc.) e da eventual impossibilidade de concretização aliada a obrigatoriedade de devolução de valores colocam o clube em uma posição de aparentemente lesado face a total ausência de responsabilidade do cessionário com relação aos erros de projeto existentes.

Essa medida, a rescisão, por parte do Botafogo, é incabível neste pequeno espaço de tempo, não deu para avaliar a questão juridicamente(a não ser que já tivéssemos um parecer na gaveta) nem mensurar as perdas decorrentes.

A rapidez de determinadas decisões podem gerar danos irreparáveis ao clube.

A torcida do Botafogo deve demonstrar imediatamente a sua contrariedade com relação a possibilidade de rescisão do contrato de cessão do Engenhão, ademais, se concretizada, estamos deixando de lado, além do estádio, qualquer possibilidade de indenização.

Que os atuais e antigos dirigentes estejam conscientes do sentimento que doravante a torcida do clube irá nutrir por eles, caso não existam explicações coerentes e claras sobre qualquer medida neste sentido, se estão sendo alvo de "forças terríveis" que coloquem a questão ao público, posto que, o contrário será entendido como entreguismo remunerado no imaginário alvinegro.

É hora de se mobilizar."


Abs
Pablo

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Pablo. Mas esse texto já foi republicado em outro post. Vamos tentar manter o foco no assunto proposto, pois se não o CB fica ainda mais repetitivo do que já é! rs
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Rodrigo, esse tema do Engenhão é muito grave. Era nossa chance de desgarrar dos demais.

Voltar para o Maracanã é pagar caro pra jogar e ficar refém de novo do Sistema.

Qual Sistema? O que escolhe os horários dos jogos, quais os jogos serão transmitidos, quanto cada clube deve receber por isso, etc...

Me desculpa, mas o sonho acaba na devolução das chaves do Engenhão.

O que vem depois é um filme de horror que já vivenciamos durante 21 anos...

Abs
Pablo

Rodrigo Federman disse...

Sim, Pablo. Eu sei, mas para isso temos alguns posts específicos ou mais apropriados para o assunto. Espero que me entenda.
Abs e SA!!!

Rui Moura disse...

Rodrigo, em minha opinião, os blogueiros devem manter fogo cerrado contra a devolução do Engenhão.

Abraços Gloriosos!

Rodrigo Federman disse...

Concordo, Rui. Mas por exemplo: Eu tento manter uns 3 posts por dia aqui no CB. Se independente do assunto, falarmos apenas da devolução, melhor deixar apenas um assunto por dia. rs
Abs e SA!!!