quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Chega de vida boa



















Notícia retirada do site Lancenet:

"Jorge Wagner fala que falta de ritmo pesou ao Botafogo.

Meia-atacante lembra que foi apenas segunda partida do time titular no ano".

Palavras do camisa 10 alvinegro, sobre a derrota para o Deportivo Quito:

"– Não estamos jogando. É apenas o início da temporada. Claro que o entrosamento está longe do ideal. Mas ainda temos uma semana e vamos nos concentrar para virar esta eliminatória".

Pois é...
...por isso que sempre fui contra esse negócio de ficar poupando atletas. Os caras recebem muita grana só para isso. Por que não disputaram as primeiras partidas do estadual então?

Ah tá, é o planejamento do departamento de futebol...

Obs: Espero que eles sejam escalados no domingo, no clássico contra o Vasco. Chega de ficar poupando jogadores logo no início de temporada!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

25 comentários:

Mario disse...

No jogo da volta, quarta-feira que vem, o Botafogo têm condições de dar o troco e passar à fase de grupos da Libertadores. Se triunfará mesmo no mata-mata, é outra coisa. Possui elenco melhor do que o fraco Deportivo Quito, que bateu ontem o time carioca por 1 a 0, na altitude de quase 3.000 metros da capital equatoriana. O alvinegro precisa vencer no mínimo por dois gols de diferença. Se ganhar por 1 a 0, decide nos pênaltis.

Na maior parte da partida, em que o Deportivo somou chances mais perigosas de gol, meu principal sentimento foi o de saudade do craque Seedorf, que trocou as chuteiras por sapatos pretos lustrosos e se tornou técnico do Milan, do técnico Oswaldo Oliveira, cujo Santos ontem achocolatou o Corinthians por 5 a 1, e até do atacante Rafael Marques, cuja movimentação intensa era muito útil ao toque de bola da equipe que viveu grandes momentos no ano passado _o magrela desengonçado transferiu-se para a China.

Não sei se o Dória sentiu o ar rarefeito, mas começou mal, levando bola nas costas e falhando no gol de Estupiñán, aos 18 minutos do primeiro tempo. Quando era para dar um chutão para longe ou para a lateral, após uma bela defesa de Jefferson, o zagueiro deu um chutinho que parou no pé do atacante adversário.

Até sofrer o gol, o Botafogo apostava em lançamento longos demais e bolas aéreas. Não era a orientação do técnico Eduardo Hungaro, conforme Jefferson contou no SportTV. A ordem era tocar a bola, insistindo na característica desenvolvida em 2013. Cruzamentos para a cabeça do centroavante Ferreyra era a última opção, disse Jefferson, mas virou a primeira.

O problema é que com três volantes (Marcelo Mattos, Rodrigo Souto e Gabriel) fica muito mais difícil manter a bola nos pés.

O time foi se recuperando, mas a posse de bola de 54% (fonte: Footstats) não se refletiu em chances promissoras. Jefferson esteve bem, idem Lodeiro. Para mim, a surpresa positiva foi Jorge Wagner, veterano que correu até o fim e tentou organizar o time. Pena que ele tenha deixado Edilson, em noite sofrível, desperdiçar cobranças de falta. Jorge Wagner, que quase marcou um gol olímpico, deveria tê-las batido.

Jorge Wagner, contudo, está muito longe de ser Seedorf.

O argentino Ferreyra, estreando no clube que voltou à competição continental depois de 18 anos, foi frustrante. A certa altura, o locutor da TV disse: “Ferreyra briga pela bola''. O mais preciso seria “briga com a bola''. Não conseguiu dominar, trocar passes, ganhar uma corrida. No comecinho da partida, diante do goleiro Ramírez, poderia ter marcado, mas se atrapalhou.

Pode vir a ser feliz no Botafogo, mas o seu estilo tanque, paradão, contrasta com a ideologia de jogo consagrada por Oswaldo Oliveira, de movimentação obsessiva e controle do jogo.

Gabriel Marques disse...

Também discordo dessa ideia de poupar atletas por conta de haver competições mais importantes. Uma, por que eles recebem para atuar, e são bem pagos para isso. E outra: está certo que eles estavam talvez sem o ritmo e entrosamento adequado, mas como você adquire ritmo e entrosamento? Jogando, se eles sabiam que enfrentariam isso, e que teriam muito pouco tempo para se preparar, por que não fizeram pelo ao menos 2 ogos antes da estreia da Libertadores, já que a equipe não viajou antes para fazer aclimatação, tiveram tempo para jogar, se recuperar fisicamente e adquirir ritmo de jogo. Planejamento mal feito, o que não chega a ser uma novidade em General Severiano. Do que adianta os caras jogarem descansados mas sem ritmo algum de jogo? Para ter uma ideia, o planejamento foi tão mal feito, que dava para a equipe jogar 2 partidas, dava para jogar na primeira rodada e a partida que foi adiantada, assim já teria um ritmo de jogo ao menos razoável.
E mais uma coisa: para jogar aqui no Rio o Eduardo Húngaro vai ter que abrir mão desse esquema de 3 volantes, pois na partida de ontem deu para ver que não adiantou de nada, se for assim é melhor jogar no 4-2-3-1 ou até num 4-4-2, pois os homens de armação e ataque tem mais ajuda em busca do gol.

Anônimo disse...

Discordo. Domingo é time reserva ou misto. Não tem cabimento jogar 4a. no Equador para depois fazer um clássico e voltar a jogar quarta um jogo decisivo...

Em início de temporada vai exaurir ainda mais o time.

Abs
Pablo

Renan sp disse...

Kkkk é uma piada os caras deixaram pra entrosar o time durante um mata mata de Libertadores..rsrsrs
Só rindo mesmo, pra não chorar....
Se classificar nessa Libertadores é obrigação, não tem conversa Fiada.
E contra o Vasqui tem q jogar todo mundo, ta poupando os caras do que ???

Um abraço

VinnyMarques disse...

O time é o mesmo do ano passado com Jorge Wagner, Bolatti e Ferreyra.
Desentrosamento????

arbusto disse...

até pq, se atuar contra o vasco com time reserva, vai tomar um chocolate

Rodrigo Federman disse...

Mario, vencer é obrigação na volta. Estarei por lá.

Gabriel, concordo. Nada de poupar jogador domingo.

Pensamos diferente, Pablo. Apenas isso.

Renan, também achei um erro.

Não tem desculpa mesmo, Vinny.

Arbusto, grandes chances.

Abs e SA!!!

Soares disse...

A maioria que posta aqui sempre falou que o CC é laboratório, que não vale nada e no primeiro sacode
já critica e exige o time titular.

Perdemos um grande treinador e um bom jogador RM. E, não se admirem
se o time terminar o ano na série B, aliás, é o que muito torcedor merece, não, o BOTAFOGO.

Rodrigo Federman disse...

Soares, se temos uma decisão na quarta, o time titular precisa estar com ritmo. Fato.
Abs e SA!!!

Marcelo disse...

Soares e Pablo será que ainda não perceberam que para o propietário do
Blog o que importa e que quanto pior
melhor ou acham que dinheiro e igual
a chuva que cai do céu , esse Rodrigo
fica o dia inteiro a disposição do Blog postando e comentando as opinioes por amor ao Botafogo esse cara e pior do que o Montenegro e o Dentista juntos não trabalha e vive de que lógico de alguém que quer o poder em GS.

Rodrigo Federman disse...

Mais um blá blá blá do patético Marcelo, queridos amigos! rs
Abs e SA!!!

Marcio disse...

O Carioca é um campeonato oficial na pré-temporada.
Quanto ao jogo contra o vasco, deve-se ter atenção pois eles não nos vence há muito tempo e podem querer fazer uma graça.
Esse jogo serve para testar uma formação diferente para o jogo de quarta, onde tudo deve ser minunciosamente ensaiado, inclusive o banco e prováveis substituições.
Os equatorianos virão na retranca e apostando em uma bola e não podemos deixar a pressão para o segundo tempo, sem confundir com afobação. Tranquilidade será essencial.
Precisamos de dois gols, mas o time não pode entrar em campo já pensando no segundo.
SA.


Rodrigo Federman disse...

É isso mesmo, Márcio!
Abs e SA!!!

daniel disse...

- Tudo indica que será melhor utilizar um jogador mais ofensivo. Precisamos ver a linha dos volantes quais as melhores opções. Gostei muito do jogo do Marcelo Mattos e do Rodrigo Souto. Precisamos ser uma equipe corajosa, mas consciente. Se levarmos um gol nossa situação fica mais difícil. Temos totais condições de conseguir a classificação. Vamos jogar nas condições que estamos acostumados a jogar. - palavras do Eduardo Hungaro.

Esse desgraçado já ta cavando pra tirar o GAbriel do time titular. Ele escalou o garoto fora de posição, jogando de meia, e agora quer montar o time com dois volantes Marcelo Mattos e Rodrigo Souto? FDP

Gustavo disse...

Pois é tirar o Gabriel vai ser uma puta sacanagem.

Time para quarta tem que ser: JEF, ED, BOL, DORIA E JC; GABRIEL, RS, LODEIRO E JW; ELIAS E WALISSON.

Quanto aos comentários do Rodrigo, discordo de muitos. Mais uma coisa é certa, ele só quer o bem do Botafogo. Que o Botafogo está falido, tudo bem. Mais cade a prestação de contas? Porque não abre o jogo? O que irrita a torcida é a falta de informações. O engenhão ta fechado desde o ano passado. Mais falam como se o Engenhão fosse a maior fonte de renda do Botafogo. Só com patrocínio tivemos a mesma renda do que o Engenhão. Outra coisa, ta sem dinheiro. Porque contratar Airton, R Souto e Bollati? Porque era oportunidade de mercado? Cade o equilíbrio do elenco? A diretoria não tem agilidade. Porque não investir o pouco que tem num Jadson da vida? Porque não tenta uma troca com o Matos. É muito caro? Busca um investidor e procura alguém no mercado sul-americano, como fez o Framerda. Não foi assim que contratamos Bruno Mendes?

Cara, tem que ter criatividade. Se você tem pouco dinheiro, é primordial que você saiba investir bem.

O trabalho da diretoria do Botafogo não é de todo ruim. Mais falta informação. Falta falar a verdade. Quando o presidente da entrevista, fala em Drogba e Forlan e contrata Wallison. Porra fala verdade e diz que não tem dinheiro, melhor do que ficar criando expctativa na torcida.

SAN

MEDUNA disse...

Nesse time que jogou em Quito, excluindo o Jeferson, só se salvou o R Souto.
MM para o banco já. Até o Renato é mais útil que ele. Pelo menos consegue dar um mínimo de organização à saída de jogo.
Lucas de volta à LD, também já.
Lodeiro corre muito, mas não faz a bola correr. Emprenhador, incapaz de tocar de 1ª.
Não acredito que esse técnico sem carisma faça do bando que jogou quarta um time vitorioso.

Rodrigo Federman disse...

Tomara que ele não faça isso, Daniel.
Abs e SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Gustavo. Existem alguns bobalhões que nem merecem crédito ao que dizem. No mais, sobre o seu comentário, ainda daria uma chance ao Ferreyra ao lado do Wallyson.

Meduna, eu gostei do Lodeiro!

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Admito um time sem qualidade técnica, como muitos que já vimos. Porém com esquema tático débil é inadmissível.
Todos parecem perdidos sem saber qual seu papel em campo.
Time bom o técnico pode atrapalhar, mais o nosso vai precisar de muito trabalho, treinos e mais treinos, jogadas ensaiadas e tudo que possa fazer um pouco de diferença.
SA.

Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Márcio. Só não enxerga isso quem não quer.
Abs e SA!!!

Ronau Gomes disse...

Simples, e o futebol é simples (quando se complica dá merda): precisamos ganhar, então sai um cabeçudo de área (eu tiraria o Marcelo Matos) e colocaria o Wallison. Se o Bollati estiver em condições, joga no lugar do RS.

Fogo7 disse...

É Rodrigo, mas depois dessa declaração os principais jornais esportivos já cravam que vai sobrar pro Gabriel.
Sinceramente, já começo a sentir saudade do Oswaldo...

Rodrigo Federman disse...

É isso, Ronau.

Fogo7, apesar do EH ainda não ter me convencido, não sinto saudade alguma do maldito Oliveira! rs

Abs e SA!!!

Fogo7 disse...

Tava zuando, eu tbm não. Mas que o EH está me deixando preocupado isso tá. Preocupadíssimo aliás.

Rodrigo Federman disse...

Ufa, Fogo7! rs
Abs e SA!!!