quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Primeira vitória (ainda sem empolgar)
















Pela primeira vez no ano, o Botafogo entrou em campo com o seu time considerado titular.

Pela primeira vez no campeonato carioca, vencemos. Mas apesar dos três pontos, o 2 a 1 (Jorge Wágner e Henrique) sobre o Madureira não foi empolgante. Pelo contrário: Continua deixando a torcida preocupada para os confrontos diante do Deportivo Quito, pela Libertadores.

No triunfo dessa noite, um time formado com três volantes, dois apoiadores e um atacante. Esse, aliás, ainda muito isolado do restante.

Em relação aos volantes, gostei do Gabriel atuando mais solto e chegando como elemento surpresa. 

De resto, nenhuma outra novidade e/ou ponto que tenha despertado a minha atenção. 

Quero dizer: Tirando o erro do técnico Eduardo Húngaro que fez o Botafogo ser pressionado e quase levado o gol de empate no final dos 90 minutos. 

Resumo da época da vitória: Resultado legal, partida apenas regular e um futuro incerto e preocupante.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 2 x 1 Madureira

1- Jefferson: Três grandes defesas - 6,5

2- Edilson: Duas subidas perigosas. De resto, pouco notado - 5,5

3- Dória: Jogou sério e com disposição - 5,5

4- Bolívar: No mesmo nível do companheiro de setor - 5,5

5- Marcelo Mattos: Visivelmente sem o melhor condicionamento físico - 5,0

6- Júlio César: Com esse esquema ele ficou devendo no apoio - 5,0

7- Gabriel: Ajudou na marcação e ainda apareceu na frente. Um motorzinho - 6,5

8- Bolatti: Distribui o jogo com facilidade e com poucos toques na bola - 6,0

9- Henrique: Enfim, um gol. Fora isso, nada fez - 5,0

10- Jorge Wágner: Bonito gol de falta e participação no meio de campo - 6,0

11- Lodeiro: Bons lampejos, mas pareceu sozinho sem ter com quem "dialogar" - 5,5

12- Fabiano: Poucos minutos em campo - Sem nota

13- Yguinho: Fraquinho... 4,5

14- Sassá: Entrou e saiu durante o jogo. Ao menos se esforça - 5,0

Eduardo Húngaro: Mexeu errado e depois teve que corrigir a situação no final, quando quase levou o empate. Visivelmente nervoso com o ínicio da carreira - 4,5

21 comentários:

असुर disse...

Esse é o Botafogo que, 16 anos depois, vai enfrentar o poderoso Deportivo Quito pela libertadores? Cara! Tomamos pressão do Madureira!!!!

Que desanimo... :\

Rodrigo Federman disse...

Asura, por enquanto é um time com pouca criação e nenhuma força ofensiva.
Abs e SA!!!

isabella disse...

Depois de ver a nota que vc deu para o Jefferson, resolvi vir direto para o comentário, NINGUÉM MERECE
Saudações "ALWAYS" ALVINEGRAS

VinnyMarques disse...

Eu nem sei o que dizer...
Gostei e não gostei do novo posicionamento do Gabriel. Perdemos um motorzinho na marcação e ganhamos, ao meu ver um inábil elemento surpresa no ataque?
Edílson foi nulo. Não jogou com o Lodeiro e alçou muito mal a bola na área. JC dava três passos a frente, parava, pisava na bola e tocava pra trás. Até que numa roubada de bola, uma arrancada e um PASSE perfeito pro gol (aleluia!!) do Henrivotril.
Gostei do Bolatti e do Jorge Wagner.
Jogam simples e com eficiência.
O Húngaro errou. Mexeu mal e começamos a levar pressão (e um gol) do possante Madureira.
Fez merda e acabou por "queimar" uma substituição e o garoto que acabara de entrar.
Saudades de técnicos que faziam o simples...
O esquema ainda se arrasta ao modelo do Oswaldo, só que temos menos meias ofensivos e mais volantes. Por que não testar 2 atacantes?
Continuamos a ciscar sem chutar a gol...
Uma coisa é certa, publica e notória:
Não temos reservas.

Rodrigo Federman disse...

Poblema (ou não) o seu, Isabella.

Vinny, começo a fica desconfiado do que o EH pode realizar no comando técnico.

Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Acho difícil analisar o desempenho do time visto que foi apenas o primeiro jogo da temporada.

O que mais me preocupa é que vamos com o time ainda em preparação para Quito. Vamos sofrer bastante lá, visto o cansaço ao final do jogo de ontem. Será que o Deportivo também está em início de temporada?

Taticamente já é possível notar que o time será mais encorpado esse ano, mais estilo copeiro. Esse esquema com o Gabriel mais avançado e Bolatti e Mattos atrás libera um pouco o Edilson e o Julio Cesar. Ano passado eles sofreram com o cansaço em função do esquema de jogo e isso enfraqueceu o time.

Pra mim esse esquema do Hungaro é mais adequado à Libertadores do que o do OO. No jogo da Copa do Brasil contra a Globo o time estava muito vulnerável e o OO, teimoso, não modificava o esquema de jogo por nada...

Outro aspecto importante. Voltamos a ter bola alta e bola parada eficiente. Nota-se pelo posicionamento.

Abs
Pablo
PS: Hungaro tirou o Sassá na hora certa. Ele e Yguinho estavam perdidos em campo, querendo aparecer individualmente e sacrificando o time. O recado foi dado.

Rodrigo Federman disse...

Pablo, pena que nossos laterais não apoiam tanto. Com esse esquema, não tem jeito: O Lucas é ainda mais absoluto!
Abs e SA!!!

Lorismario disse...

Meu caro Rodrigo. Um pouco sobre a tática. Íamos bem até que o EU resolveu desmontar o que começa a se apresentar como tática. Principalmente a distribuição dos jogadores em campo. O Henrique levou quase 850 minutos para fazer um gol. Quando faz o EU começa a desmontar o time tirando-o. Logo após, tirou o jogador que mais organizava o meio de campo defensivamente: Bolati. Jogava fácil, se posicionando sempre livre para receber, sem dar chutões. Quando Botafogo perdia a bola, estava sempre marcando bem. O posicionamento era perfeito. Se observa isto como? Verificando que ele está sempre nas jogadas do ataque adversário. Seja combatendo diretamente ou sempre olhando ( veja como ele sempre olha a posição dos adversários e dos companheiros)e dá combate direto. Isto, no entanto, fez com que o Gabriel subisse. Aí mora um pecado. Então começou o drama. Teve que retirar o Sassá que não deveria ter entrado. Enfim, o EU, não vai emplacar. Se tivesse que tirar alguém seria o Lodeiro que corria muito e produzia pouco. Isto lá pelos 30 do segundo tempo. Aí teria que entrar com um jogador mais vertical (Cidinho?). Definitivamente o Edilson e o Henrique não servem. Besteira ter ficado com o Edilson e emprestado o Gilberto. Deveria ser o contrário. Como não vamos contratar ninguém, o Elias tem que entrar.Estas são algumas das minhas observações. Loris

Paulo Fernando disse...

Gostei. Esse esquema não é para o limitado Edilson, pois o Lucas é mais aderente porque sobe mais. Data venia (tô danado!) não concordo com sua avaliação do Julio Cesar, pois achei ele bem ontem, além de ter cruzado para o gol (ufa, mas pra mim continua um zero) do Henrique. A formação do meio foi boa, mas precisa de entrosamento. Bem o Bollati e o J. Wagner e o Gabriel mais solto. O Lodeiro é que tava meio apagado, explicável, pois todos os jogadores quando tão com a cabeça em negociações perdem a bola. Mas para uma estreia em gostei. O Hungaro apostou errado na saída do Bolatti e entrada do Sassá, mas gostei de ter assumido o erro e ter mudado a tempo. Onde alguns vêem como falha, eu enxergo como atitude. Sempre reclamamos de técnicos conformados que nada fazem quando a coisa muda. Ele teve a coragem de mudar rapidamente. Gostei muito! O Sassá ficou p., o que é normal, mas o Hungaro explicou que isso não tem nada a ver com o desempenho dele em campo (na minha opinião a melhor atuação do Sassá desde que subiu), mas com uma estratégia para resolver o problema da pressão do Madureira.

Sergio Di Sabbato disse...

Novamente andei pro jogo, mas lendo os comentários desde o 1º jogo, parece ser uma marca dos últimos treinadores do Botafogo não saber mexer por pura falta de leitura tática. Só mesmo uma diretoria incompetente ou FDP poderia contratar um técnico tão inexperiente para uma competição tão importante como a Libertadores. A criatura imita o criador: salve o montemerda e seus asseclas. Abs e SB!

ari dias disse...

Jeff mais uma vez foi decisivo no final do jogo, nada de novo. A defesa foi bem até o Madureira começar a incomodar, ou seja, vacilou quando exigida. Gostei do Júlio Cesar e não gostei do Edilson sou mais o Lucas.
No meio eu acho o Gabriel mais eficiente na marcação, colocaria ele no lugar do MM e mais um meia pra ajudar Lodeiro , Bolati e Lodeiro, poderia ser o Daniel. No ataque... a gente tem ataque?
SALVE A LIBERTADORES.

Rodrigo Federman disse...

Loris, concordo com a grande maioria. Só acho que mesmo produzindo pouco, hoje o Lodeiro não pode sair do time, já que é o único jogador com velocidade no meio de campo. Aliás, além do atacante isolado, essa é a minha única crítica ao padrão tático. Até porque os laterais apoiam pouco.

Paulo, eu acho que nesse esquema o JC pode se arriscar mais. Continuo vendo um JC burocrático ao extremo. Pode - e deve - ser mais ousado.

Sergio, começo a achar que o EH realmente não dará conta do recado. E antes que entendam mal, isso não é uma crítica. Apenas um "achismo".

Ari, fato: O Lodeiro precisa de um companheiro de velocidade. Caso contrário, a lerdeza será a marca desse time.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Rodrigo, JEFFERSON merece nota melhor, hoje é o nosso melhor jogador, uma das nossas poucas certezas.
Como você mesmo colocou, fez três grandes defesas, o que não é pouco perante o "poderio" do adversário.
Poderio esse em muito acentuado com a alteração promovida pelo Húngaro.
Erro que se cometido diante de um adversário mais gabaritado pode ser fatal.
Na verdade, encontro-me agora mais preocupado com o técnico do que com o time. Será que ele sabe realmente o que está fazendo?
Que ele acerte, pois me dá medo pensar nos prováveis substitutos.
Quanto ao jogo em si, vitória é melhor sempre, pois com ela, um pouco mais de tranquilidade terão na preparação para o que realmente interessa, a Libertadores.
SA.

Lorismario disse...

Rodrigo. Deixe-me esclarecer. Disse que "o Lodeiro corria muito (não disse que corre muito) e produzia pouco" . Se tivesse dito que "corre muito e produz pouco" aí sim estaria pedindo a saída dele. O que eu achei do Lodeiro ontem é que por estar jogando muito mais avançado, para não receber a bola de costas para o gol do adversário, ele tinha que se deslocar para os dois lados. Isto não aconteceria se ele viesse com a bola dominada a partir do meio de campo e não proximo a grande área dp adversário. Não advogo a saida do Lodeiro. Ficou claro? Loris

Rodrigo Federman disse...

Marcio, hoje refleti e vi que poderia melhorar a nota do Jefferson mesmo. Mas ainda assim, quem mais se destacou - para mim - foi o Gabriel. Mas claro, concordo e reconheço a importância vital do nosso camisa 1.

Ah sim, Loris! Agora entendi melhor! Valeu, amigo!

Abs e SA!!!

Paulo Fernando disse...

Não estou entendendo. Durante o jogo o placar nos era favorável nosso técnico pensou: o Bolatti está cansado e o Madureira vai se abrir, vou matar o jogo. Fez a alteração com esse objetivo, mas o Madureira fez seu gol e pressionou para seu segundo gol. O que fez o Hungaro: vou adaptar o time a nova realidade, colocou o Fabiano e tirou um atacante. Quando o técnico tem a atitude e não se esconde nós reclamamos também!?! Se ele mantém o esquema com 3 volantes e 1 atacante todos diriam: foi medroso. Quando o cara tem atitude (jogo praticamente definido) e muda reclamamos que não leu direito o jogo?!? Depois do gol do Madureira ele tem a coragem de mudar de novo, ou seja, tem atitude e todos reclamamos?!?
Prefiro um cara de atitude que faz e acontece, muda e dá novas opções do que o babaca de nariz em pé que ficava o jogo todo calado como se não tivesse nada a ver com aquilo!
Pode ter até mexido mal na opinião de alguns, mesmo se fosse essa hipótese o time estava ganhando e ainda está testando o elenco e a nova formação com o líbero Bolatti.
Tem um amigo meu que disse que ano passado nós eramos líderes do CB com 46 ou 47 pontos e um amigo Botafoguense disse:
- Saímos do risco do rebaixamento. Acho que isso retrata bem nossa atitude em relação ao time. Temos que ter uma visão mais copo cheio. A maioria prefere olhar a parte vazia do copo e se desagrada o tempo todo. Primeiro jogo do time. Vitória e boa estreia do Bolatti e do J. Wagner, gol da ameba, etc... Eu ainda estou de bem com o time e acho que estamos no caminho certo. Só tiraria o M. Mattos, recuaria o Gabriel e colocaria o Daniel (que marca sim).

Rodrigo Federman disse...

Paulo, acho que o MM ou JW estavam mais cansados. E como não tínhamos mais ligação meio/ataque, eu não isolaria dois atacantes naquela hora. Colocaria um jogador de meio, nem que fosse mais ofensivo (caso do Cidinho, por exemplo).
Abs e SA!!!

isabella disse...

Rodrigo o "Poblema (ou não) o seu, Isabella.", pelo menos, antes de criticar um comentários aprenda a escrever, só vi que o post saiu no nome da minha filha depois de publicado, me chamo ANTONIO MARIA CLARET MIRANDELA, também conhecido como TONINHO ALVINEGROLOUCO, que já foi seu vizinho um dia. Seu BLOG, tem a seguinte LINHA DE PENSAMENTO, minha opinião e a dos meus amigos é a que valem a dos outros que EXPLODA. Vide sua resposta mais abaixo, "Marcio, hoje refleti e vi que poderia melhorar a nota do Jefferson mesmo..."
Cansei de ver isso sempre que dava uma espiada.
Meu prezado, SÓ LAMENTO, NINGUÉM MERECE.
Agora se for mesmo imparcial como diz ser, publique o MEU COMENTÁRIO.
TONINHO "ALVINEGROLOUCO"

Rodrigo Federman disse...

Publicado, Toninho. E sem nenhum problema. Apenas coloquei problema ou não da Isabela, primeiro, porque foi assim que saiu assinado. E segundo, porque ao discordar da nota que atribuí (e ela não é verdade absoluta, certa ou errada), disse que "ninguém merece". Ou seja: A pessoa acha que ninguém merece como bem entender, né? Por isso, o "problema" dela. E sim, hoje, revendo os lances, vejo que poderia ter dado um pouco mais ao Jefferson. Qual o problema em reconhecer? Mas como disse, continuei achando o Gabriel o maior destaque do jogo. Repito: Não tem problema e mal algum, Toninho. Opiniões, caro amigo. Opiniões. Cada um com a sua. E nenhuma é a certa/verdade absoluta. Simples.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

O Gabriel se aprimorar o chute pode se tornar um grande jogador; ele é dinamico; talentoso; raçudo; só faltar melhorar o chute.

Rodrigo Federman disse...

Concordo contigo, Anônimo.
Abs e SA!!!