sábado, 7 de março de 2015

Ambiente leve

















Palavras do goleiro Jefferson, sobre a diferença do Botafogo de 2014 para o da atual temporada:

"- É até difícil eu falar, porque o ano passado eu tiro de exemplo como o que nós não devemos fazer. Essa é a realidade. Ano passado foi muito triste. Eu estava com saudades do ambiente bom do dia a dia, de chegar ao treino e poder ser transparente com todo mundo, com uma alegria verdadeira. Ano passado, você via jogador que chegava faltando 10 minutos para começar o treino, porque não aguentava ficar aqui. Estávamos em um ambiente pesado. Esse ano está muito leve, todo mundo se dá bem, todo mundo está em prol do mesmo objetivo, desde o presidente até o porteiro. Todo mundo está envolvido, comprometido, e o ambiente faz a diferença".

Meu comentário: Méritos do presidente Carlos Eduardo Pereira, Antônio Lopes e Renê Simões. Em pouco tempo, conseguiram limpar a sujeira de General Severiano e, devagar, começam a reorganizar todo um clube detonado pela antiga diretoria amadora e bandida. 

Arejar o ambiente interno foi a primeira medida tomada.

Medida corretíssima!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

17 comentários:

ARI DIAS disse...

Em qualquer trabalho o ambiente é fundamental para o bom rendimento. Quando a "turma" não se suporta fica difícil conseguir bons resultados.
Espero que esse ano a coisa continue assim até a volta para a série A e que permaneça até o fim do mandato do CEP.
Agora Rodrigo gostaria que você fizesse um post sobre as propagandas na camisa do Bota, tenho ouvido muita coisa e tenho minha opinião mas gostaria de saber o posicionamento dos amigos aqui do CB
ACABOU O TEMPO DA PASSIVIDADE!
DOMINGO VAMOS MANCHAR A MAQUIAGEM DOS FLORZINHAS!
PRA CIMA DELES(AS) FOGÃO!!!!

Anônimo disse...

RODRIGO,um abraço do JOTA.
Concordo plenamente com as declarações do JEFFERSON e com os seus comentários.
Esta semana,li algumas idéias sobre a tal posse de bola.
Tentarei reproduzir o que me foi dito,recentemente,por um ex jogador aqui do sul:"Essa história de posse de bola atual é conversa fiada.Os zagueiros ficam trocando passes entre si,passes laterais e o adversário não tenta roubar a bola.No final,vem o tal "scout" com a posse de bola de 70% e o adversário,em um rápido contra ataque,ganha o jogo.Só funciona a tal posse de bola,se você tiver um bom jogador de meio e dois atacantes que resolvam.O resto é tudo "conversinha" para arrumar emprego para os "amigos" ficarem marcando passes,chutes,etc.
Nos grandes times brasileiros,com craques,e nas verdadeiras seleções, havia essas trocas de bola com o objetivo de atacar e procurar o gol.
Desde quando ficar tocando bola para os lados é uma grande tática moderna? Hoje em dia virou mania entre trinadores a tal posse de bola sem finalidade,tudo repetido por certos comentaristas que nunca chutaram uma bola."
Quem comentou isso foi muito bom jogador,jogou no meio de campo da seleção,embora não tenha sido um técnico vitorioso.
Para mim faz sentido,pois no futebol brasileiro atual,onde quase não há tempo de bola rolando,isso é uma grande baboseira,o famoso "engana trocha".

Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Ari. Um bom ambiente interno pesa muito. E nesse ano, parece que, enfim, temos um agradável. Sobre as camisas, também pensei bastante e tenho uma opinião. Vou apenas aguardar para ver como será de domingo e se teremos novidades, ok?

É isso mesmo, Jota! Posse de bola é bonito...desde que, no final, consiga o resultado prático. Ou seja: Bola nas redes! rs

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Não há mais nada o que comentar sobre a indigesta gestão praiana, não há adjetivos que traduzam o mal que fizeram.
Que as coisas continuem nos trilhos para que não voltem os Dona Lúcia, presidente eterno e cia; devem estar espreitando, a espera de uma turbulência para atacar.
Pra a "gestão" anterior, uma auditoria lhe cairia bem.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, bem lembrado, os Donas Lucias do bandido Assumpção sumiram, né? Aliás, o bandido-maior também.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Ainda sobre a posse de bol.
Quando o R. Simões estava nos canais Fox Sports, teve uma discussão com o Mário Sérgio sobre o assunto. Ele, Simões estava com scout de um jogo e defendia seu ponto de vista; M. Sérgio por sua vez, dizia que isso não adiantaria muita coisa, pois o adversário poderia suportar, ganhar o jogo em um bola vadia, ter um jogador diferenciado e etc. Em resumo, o Simões defendia o scout e o M. Sérgio não dava importância.
Certa vez, jogavam no Engenhão, hoje NILTON SANTOS, o time de três cores contra o Boca pela LA.
Os três cores fizeram um gol, perderam outros e pressionaram o tempo todo. No final do segundo tempo, Riquelme que fazia uma partida mais ou menos, fez uma jogada e deixou um companheiro na cara do gol. O Boca empatou o jogo e se classificou.
Riquelme, perguntado sobre não ter quase tocado na bola, disse que não precisava de muitas bolas, apenas uma lhe era suficiente.
Todos jogam e o Craque decide e não há scout que faça mudar isso.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, essa é a graça do futebol. E por isso que um craque precisa estar em campo sempre, mesmo que de cadeira de rodas! rs
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Rodrigo, e por falar em craque...
Quando tiver tempo, se ainda não viu, olhe esse vídeo.
Mais uma prova de quanto o futebol brasileiro nos é devedor.
https://www.youtube.com/watch?v=fjk4B_qlPWc

Rodrigo Federman disse...

Vou dar um confere, Márcio. Valeu!
Abs e SA!!!

jones lopez disse...

Rodrigo acho que so falta o felipe gabriel nesse time pra 2015 .

Rodrigo Federman disse...

Jones, fora da realidade financeira do Botafogo atualmente.
Abs e SA!!!

Sergio Di Sabbato disse...

Não faz muito tempo, o Barcelona tomou uma cipoada do Bayern e a posse de bola do time catalão foi infinitamente superior a do time alemão, mas a objetividade do Bayern foi muito maior. O Botafogo nos velhos e bons tempos de Didi e depois Gérson jogava na base de atrair o adversário, roubar a bola e sair no contra-ataque, mais ou menos como a Holanda de 74 e o Brasil de 70, e quando ficava tocando a bola, a jogada final era mortal. Esse papo de posse de bola é papo pra boi dormir. De que adianta ficar tocando e não conseguir chegar na jogada aguda. Sobre o ambiente em GS, felizmente temos um botafoguense no comando do clube, e com interesse apenas em vencer as dificuldades e devolver a grandeza do Botafogo. Que o CEP continue assim para o bem do Fogão. Abs e SB!

James cancelier de moraes disse...

Nem dá pra acreditar no que passamos em 2014 e o ambiente já mudou, já ganhamos até clássico. Que continue assim por muitos anos.

Rodrigo Federman disse...

Verdade, James.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Rodrigo hoje tirei o dia para ler informações de outros times sobre nossos jogadores contratos e me assustei com o número de criticas sobre o Renan fonseca aa algumas sobre o roger e vi muitos elogios sobre a serie b 2014 sobre o Alisson Pimpao Bill Tomas engraçado que em todos os blogs de outros clubes sitam o Andreazzi como titular onde está esse jogador .

Rodrigo Federman disse...

Anônimo, o Andreazzi estava machucado e não sei se já está plenamente recuperado.
Abs e SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Exato, Sergio. Mais importante do que posse de bola, é ser objetivo. Exatamente como no domingo passado.
Abs e SA!!!