terça-feira, 27 de outubro de 2015

Ótima mudança

















Notícia retirada do site Globoesporte:

"Menos burocrático: Botafogo mudará sistema de sócios para 2016.

Torcedores pagarão uma tarifa básica e poderão acrescentar produtos em uma espécie de "carrinho de compras", pagando individualmente por cada um".

Explicações do Márcio Padilha, vice de comunicação e social do clube:

"- Se em determinado momento o torcedor não puder mais ir aos jogos, por motivo financeiro, pessoal ou de trabalho, ao invés de cancelar o plano todo, ele retira apenas o acesso aos jogos. O sistema será mais legal. Não precisará sair do programa. O torcedor adicionará aquilo que ele gosta. Por exemplo: ele gosta de assistir aos jogos no Norte, mas se pintar uma graninha a mais e ele quiser assistir no Leste, é só ele ir no carrinho, tirar o Norte e colocar o Leste, assistindo aos jogos onde ele preferir. Hoje, se o cara quiser fazer isso, ele tem de sair do programa, ou se descadastrar e se cadastrar de novo. É uma burocracia muito maior".

Opa! Excelente ideia e mudanças. De fato, ninguém tem paciência para processos complicados ou demorados. Além disso, bem legal cada um pagar o "mínimo" obrigatório e passar a acrescentar serviços e produtos à medida que vontades ou disponibilidades surgirem.

Bola dentro.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

22 comentários:

Sergio Di Sabbato disse...

Muito bom. Agora só falta o Padilha fazer do Nilton Santos um estádio rentável ao invés de querer devolvê-lo. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Sergio, aí já é muito mais difícil! hheheh
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

RODRIGO,concordo com as sua observações,pois deverá facilitar,embora não acredite que vá mudar muito.Entretanto,comparecimento de torcida é um assunto polêmico.Muitos alegam falta dinheiro,pouco transporte,horário ruim,falta de craques,etc.Pode influenciar para alguns,mas não ao grosso da torcida.Ao longo das décadas constatei que a maioria de nossa torcida só comparece quando vale algo importante,só os ABNEGADOS estão sempre juntos ao time.Parabéns a esses torcedores que moram no Rio e nunca deixam a peteca cair.Farei um resumo do que vivi e rebaterei algumas desculpas esfarrapadas.
1.sempre falta dinheiro para alguns,mas não para a maioria.Durante muitos anos não havia meia entrada,só os menores de 14 anos entravam com os pais sem pagar e as torcidas organizadas não ganhavam ingressos como hoje.
2.o transporte era muito pior do que nos últimos anos,íamos de bonde ou lotação,os trens eram horríveis e não havia metrô.
3.o horário de 21.30 era praticamente o mesmo de hoje,sendo que domingo,jogava-se as 15.30 horas,em um calor infernal,com as arquibancadas de cimento fervendo.
4.craques era o que mais tinha e a torcida não comparecia.
Sinto-me a vontade para falar tudo isso de nossa torcida,porque eu também fui um abnegado e ficava puto quando ia a Ítalo Del Cima,Bariri,Teixeira de Castro,Figueira de Melo,etc,e era sacaneado,pois quase não tinha ninguém.Éramos ridicularizados no Jornal dos Esportes com charges de que nossa torcida cabia em uma kombi.Muitas vezes dei e levei porrada para defender o meu time.Meu pai tentava me acalmar,pois eu xingava mesmo e tinha ódio daqueles que não prestigiavam.
No maraca em 1961,em um jogo contra o AMÉRICA,com Didi,Garrincha,NS e outras feras,o mequinha tinha mais torcida do que nós.Foi um dos dias mais tristes de minha vida de torcedor.Contra os grandes,ficávamos encolhidos atrás do gol,pois as outras torcidas ocupavam a sua parte e invadiam o nosso lado.ESSA ERA A DURA REALIDADE.
Aí acontecia o milagre,os campeonatos eram de 3 turnos e quando havia os tais jogos decisivos,quando poderíamos vencer o turno,aí os acomodados compareciam em massa e dividíamos o estádio.
Falei tudo isso para dizer que nossos torcedores que moram no Rio e que tem mais facilidade em comparecer,tem isso incorporado,ou seja,vão quando vale título, independente de ter time bom ou não.Um grande exemplo foi aquela decisão da Copa do Brasil contra o JUVENTUDE,quando colocamos mais de 100 mil no maraca porque valia título.
Podem estar certos de que a partir de agora,a tendência é a torcida comparecer em grande número,pois valerá alguma coisa,título ou G4.
Antes ficava PUTO com esse descaso,hoje entendo e compreendo que é um direito do torcedor comparecer de acordo com a sua vontade.Vivi intensamente tudo isso e entendi que essa é uma característica de nossa torcida.Repito que as várias desculpas podem realmente servir para alguns,mas não para para a maioria dos milhares e milhares de torcedores que moram no Rio.
Desculpem o desabafo,mas eu ficava realmente inconformado com aqueles que só compareciam na boa.
Encerro cumprimentando e homenageando os ABNEGADOS que residem no Rio,pois chova ou faça sol,com craques ou sem eles,com condução ou sem, prestigiam e apoiam o time dos seus corações.JOTA.

Rodrigo Federman disse...

Boa, Jota! É isso aí. O amigo falou e disse.
Abs e SA!!!

Ricardo Luiz disse...

O Jota falou tudo da nossa torcida e eu infelizmente assino embaixo , sou um desses acomodados que não vou a jogo algum , mesmo sendo Sócio Torcedor e tendo facilidade de transporte já que moro em Copacabana , mais confesso não fui ainda a nenhum jogo esse ano a partir da liberação da cerveja nos estádios pretendo ir a todos , porque ir
ao estádio nesse calor de bico seco não dá , pelo menos agora não terei mais desculpas
para ficar de fora rsrsrsrsrsrsrs.

Sds Alvinegras
Ricardo Luiz.

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Ricardo. Eu não consigo me imaginar não indo em jogos (morando na mesma cidade do meu clube de coração), mas respeito quem não vai (por qualquer motivo, afinal, são pessoais, né?)
Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Ótima idéia. Aguardarei sua implementação já que entre o que se pensa e o que se constrói muitas vezes vai uma distância enorme. Tomara que dê certo.

Legal o depoimento do JOTA. Vou dar meu modesto pitaco (o JOTA trouxe fatos e lembranças, eu vou de pitaco mesmo). Nasci em janeiro de 1960. Pai botafoguense apaixonado. Nem foi muito difícil eu me apaixonar também. Ainda lembro, em especial, das decisões do Carioca e da Taça Guanabara -que era outro campeonato, e não um turno dentro do Estadual- de 67/68. Lembro bem da piada que faziam com nossa torcida caber numa Kombi. Tinha também uma outro provocação, dizendo que éramos apenas 18 torcedores. Por que 18 ? Talvez pelo histórico episódio dos 18 do Forte ?

Tenho a impressão de que até o surgimento do time em que brilharam Garrincha, Nilton Santos, Didi, entre muitos outros, éramos uma torcida bem menor que as dos outros 3 times da cidade. Talvez fôssemos mais ou menos do tamanho das torcidas de América e Bangu. Não sei...

Sei que crescemos, e muito, a partir de 1957. Acho que disparamos nos anos 60, talvez até a metade dos 70. (Lembremo-nos que éramos base da seleção tricampeã em 70, em 71 fomos à final do Brasileiro, contra Atlético MG e S Paulo, e em 72 fomos vice para o Palmeiras; éramos gigantes). Tínhamos torcedores fora do Rio, e muitos.

Depois veio a seca. Anos de pedreira. Outros times começaram a aparecer. Veio a tv com transmissão de jogos. Veio a ditadura de 64, sempre apoiada pela Rede Esgoto, a fazer propaganda do time do lixo.

Respeitando a opinião do JOTA, tenho a impressão de que, ao menos no Rio, as torcidas, e não só a nossa, há muito tempo não têm o hábito de se fazer presente nos estádios. O PVC é quem, vira e mexe, traz dados mostrando que a média de público nunca foi grande coisa.

Lembro de em um dos 2 brasileiros recentemente conquistados pelo time aqui do meu bairro, os jogadores reclamavam que a torcida não enchia o Estádio Nilton Santos. E olha que foi naquele campeonato em que o florminenC disparou na ponta...

Falando nesse time de segunda, alguém comentara aqui no Cantinho sobre a venda antecipada de ingressos para o jogo contra o Palmeiras, na semana passada. Vendo o jogo na tv, mais de uma vez comentou-se que a torcida tricolette deixou vazios no maracaneike, que o time se saíra bem no jogo anterior, etc e tal.

Acho que aqui no Rio, excetuando-se jogos que valem alguma coisa, como bem salientou o JOTA, o povo não vai, não. Ainda mais com transmissão pela tv -coisa que não tinha há 30, 40 anos. Só mesmo os aficcionados para irem ao estádio ao invés de ficarem no botequim da esquina bebendo uma gelada e vendo no telão. Acabou o jogo, rapidinho estão em casa. Vão gastar só o da cerva. E duvido que custe 7 pila, como estava na 3a feira, no Nilton Santos.

E, no nosso caso, só mesmo sendo muito doido para, como eu, insistir em ir ao Estádio Nilton Santos para ver aquele bando jogando de salto alto. Como contra o Ceará.

Os jogadores, não só os do nosso time, são um horror, os jogos pavorosos. O time com frequência não se empenha e decepciona quando esperamos por uma boa sequência.

Mas eu insisto. Sábado estarei lá.

Abs. Obrigado pela paciência de quem leu isso tudo.

Rodrigo Federman disse...

Grande, Eduardo. Demais o seu comentário. Eu penso como você: Não é uma exclusividade dos botafoguenses. No RJ, acho, talvez, que só os rubronegros se fazem mais presentes (não apenas em decisões), mas é perfeitamente compreensível, pois a quantidade deles é enorme e isso é inquestionável.
Abs e SA!!!

Yolanda disse...

Tudo que for para melhorar, será bem vindo, mesmo sendo ST vou no setor que achar melhor, gostei da leste inferior, fica perto, a oeste é longe demais porque tive que pegar o ingresso no setor norte. Enfim um horário ótimo, ainda não sei se irei. Espero que nossa torcida compareça!!!
SA!

Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Yolanda. O simples fato de diminuir o processo burocrático já é um bem enorme.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Vou na mesma linha do Eduardo.
E acrescento:
Um clube Carioca enfrentou o Grêmio pelas Quartas da Copa do Brasil e levou apenas 9.637 ao new maracanã e a imprensa passou batida pelo fato. O Santos que vem bem em 2015 e histórico de conquistas recentes enfrenta problema de comparecimento.
O problema é que a imprensa, com minúsculas, só cobra a presença em massa da Torcida quando se trata do BOTAFOGO.
Se for para falar em termos matemáticos (indicadores) a nossa torcida comparece mais do que a maior do Brasil.
Segundo uma pesquisa de 2014, esse time tem 32,5 milhões de torcedores pelo Brasil e sua média de publico em 2015 é de 28.641.
O BOTAFOGO tem 3,4 milhões de torcedores e sua média de público em 2015 é de 10.176.
Dividindo a média de público pela quantidade de torcedores e multiplicando por 100, temos o percentual de comparecimento.
O de "maior torcida do mundo" para a imprensa, tem um comparecimento de 0,088%; o nosso BOTAFOGO tem um percentual de 0,299%.
E tem mais:
A Torcida do BOTAFOGO representa 10,46% do total da torcida deles ((3,4/32,5)*100) e o comparecimento da Torcida do BOTAFOGO representa 35,53 do total médio de comparecimento deles ((10176/28641)*100).
A conclusão matemática que chego é que pelo menos em 2015, nosso comparecimento médio é maior do que o de "maior torcida". Com pouco mais de 10% do número deles, comparecemos com 35% do total deles. Quem deveria comparecer mais?
A verdade é que o problema de público no Brasil não é exclusividade do BOTAFOGO como tentam fazer parecer; todos vão quase sempre na boa.
Respeitando a individualidade de cada um, vai quem quer e quem pode, a diretoria do BOTAFOGO pode e deve buscar uma solução para o fato, pois de 1968 até hoje a coisa não tem sido fácil para o Torcedor do BOTAFOGO.
SA!!!

http://app.globoesporte.globo.com/futebol/publico-no-brasil/
http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2014/08/pesquisa-fla-tem-maior-torcida-mas-corinthians-encurta-distancia.html

Rodrigo Federman disse...

Demais, Márcio. Muito maneiro. Gosto muito quando você comenta e apresenta esses números. Legal a beça.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

RODRIGO,muito boa essa troca de idéias entre botafoguenses sobre torcida.Voltei por ter esquecido um detalhe importante,que com certeza,hoje em dia,tira muita gente dos estádios Brasil afora.
A falta de educação e a violência de marginais das torcidas organizadas.Um pai conta até mil para levar seus filhos com a camisa do seu clube,pois pode vir um COVARDÃO,rasgar as camisas das crianças e ainda agredir o pai.JOTA.

Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Jota. Nisso eu penso igual a você, sem mudar uma vírgula sequer.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Rodrigo, fico extremamente satisfeito em colaborar positivamente com os meus comentários.
O que escrevi apenas retrata a certeza que sempre tive em relação ao massacre imposto a nossa Torcida. Estamos espelhados pelo país e não podemos ser cobrados a estarmos em "40 mil", quando praticamente todos não estão. Podemos ser mais presentes? Sim! Só que não será abrindo guerra contra, como gente de dentro do CLUBE costumeiramente faz.
SA!!!


Rodrigo Federman disse...

Márcio, os números que você apresenta são reveladores e inquestionáveis. Sensacional.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Para completar, vou considerar apenas os números de torcedores no Rio de Janeiro.
O de "maior torcida" tem estimados 7,9 milhões de torcedores; o BOTAFOGO 1,8 milhões de Torcedores.
A média de comparecimento do de "maior torcida" no ano é de 28.641;
A média do BOTAFOGO é de 10.176.
Dividindo o comparecimento médio pelo total de torcedores no RJ e multiplicando o resultado por 100, teremos:
O de "maior torcida: ((28.641/7,9 milhões)*100) = 0,36% de comparecimento;
O BOTAFOGO: ((10.176/1,8 milhões)*100) = 0,56% de comparecimento.
No RJ, somos 22% do total de torcedores do de "maior torcida"; ((1.8/7,9)*100).
Observem:
Em termos nacionais, somos 10,46% do total deles e temos comparecimento a mais de 0,211%, (0,299% (nosso)-0,088% (deles));
Em termos de RJ, somos 22% do total deles e temos comparecimento a mais de 0,2% (0,56%(nosso)-0,36% (deles)).
Seja em termos de número de torcedores no Brasil ou apenas no Rio de Janeiro, a diferença a mais e semelhantes no comparecimento em 2015 para o BOTAFOGO é significante.
Se considerar que a pesquisa aponta o de "maior torcida" com 48,2% da preferência no Estado e nós com 11,4%, penso não restar dúvidas sobre como encarar esse assunto.
SA!!!

http://www.lancenet.com.br/minuto/Pesquisa-LANCE-Ibope-Flamengo-RJ_0_1201680033.html
http://app.globoesporte.globo.com/futebol/publico-no-brasil/

Rodrigo Federman disse...

Mais uma vez, incrível, Márcio! Valeu!
Abs e SA!!!

VinnyMarques disse...

Aqui no RJ a gente, que estava sempre indo aos jogos, costumava dizer que erramos os 7 mil se sempre... Pois essa era a média de torcedores que sempre ia ao Engenhão.
Concordo com tudo que foi dito, relatado e detalhado em números... Jota, Eduardo, Márcio... Sensacional.
Mostra como as coisas realmente são, não como a Fra-Press apregoa...
Sou de 81 e vivi uma parte da seca, mas desde 89, ainda moleque, virei fanático.
Já fui em.dias de sol bizarro no Maraca, o original, onde mesmo comprando aquelas almofadinhas, quem tinha hemorroidas, sofria... Já fui a Bariri, Moça bonita, Volta Redonda, Itaperuna!! Até em Mesquita (Mesquitão... Nem sei se ainda existe) já fui.
Hoje, confesso que perdi a paciência para assistir esse Botafogo atual. Até o tipo de torcedor mudou. Uma molecada chata, burra, que fica imitando as outras torcidas... Ficam mais preocupados com o framengo do que com o próprio Botafogo.
Continuo ST, mas deixei de ir aos jogos... Trabalho, família...
Falta de tempo, insegurança, desconforto, time ruim... Tudo isso influi.
Mas no fundo, acho nossa torcida muito desconfiada (justamente), e muitas vezes xepeira...
Explica mas não justifica. Compreendo mas não entendo...
Não dá para ter uma explicação lógica... Cada um sabe suas motivações. Para ir ou não ir. Não julgo.

Rodrigo Federman disse...

Perfeito, Vinny. É isso mesmo. E seus argumentos valem para a maioria também.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Esse Post é para ser guardado; mais cedo ou mais tarde esse debate voltará. Sempre tem alguém para culpa a Torcida.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Verdade, Márcio.
Abs e SA!!!